O admirável mundo novo já chegou com a máquina que lê o pensamento

HOME

A principal preocupação dos envolvidos neste processo reside na facilidade de captura de informações referentes a dados bancários ou palavras-passe.

Poderá ser reiniciado o debate dos limites do progresso com a mais recente descoberta de um grupo de investigadores que se dedicou à análise de comportamentos através da leitura dos estímulos visuais dados ao ser humano.

O Emotiv, aparelho que já conseguiu hackear e adivinhar o primeiro número de palavras-passe no cérebro de voluntários para os seus testes com uma taxa de sucesso de 40% tem como objetivo principal a utilização pelas forças de investigação e segurança a fim de descobrir relações de proximidade entre testemunhas de processos-crime e suspeitos, aumentando a eficácia dos Estados contra a criminalidade. 

Contudo, para além de pouco desenvolvido – espera-se que numa fase mais avançada tenha a capacidade de converter as leituras para imagens – embate no princípio da conservação da privacidade e se a sua utilização não for devidamente acautelada e regulamentada, pode ser umas das mais eficazes ferramentas nas mãos de quem tenha propósitos menos claros. A principal preocupação dos envolvidos neste processo reside na facilidade de captura de informações referentes a dados bancários ou palavras-passe.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor