Região Amazônica terá plano de ciência e tecnologia

HOME

A medida foi anunciada pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp, durante a 65° Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. De acordo com o presidente do Centro de Gestão de Estudos Estratégicos, Mariano Laplane, a proposta foi elaborada de forma colaborativa, com estrito enfoque nas necessidades locais. Marco

A medida foi anunciada pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp, durante a 65° Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.

science-and-technologyDe acordo com o presidente do Centro de Gestão de Estudos Estratégicos, Mariano Laplane, a proposta foi elaborada de forma colaborativa, com estrito enfoque nas necessidades locais.

Marco Antonio Raupp referiu que “A proposta é um plano de desenvolvimento sustentável da região amazônica com a utilização de seus recursos naturais. [O plano é construído] com a participação de instituições de ciência e tecnologia da região, governos estaduais e federal”.

A iniciativa é baseada em três eixos, sendo eles os perfis de pesquisadores mais adequados para o trabalho na região, infraestrutura de laboratórios e, finalmente, ambientes de inovação.

Por seu lado, Mariano Laplane aponta: “Procuramos respostas em três questões fundamentais, como a necessidade de recursos humanos, qual a quantidade e o perfil que a ciência brasileira deve mobilizar na região. Quais as áreas de conhecimento devemos concentrar nossos esforços para alavancar o desenvolvimento sustentável e quais são os recursos laboratoriais, a infraesturura, que junto com o esforço humano vai conseguir fazer com que o conhecimento avance”.

O presidente do CGEE explica, também, que o ministério ainda está definindo os recursos que serão aplicados e quantos pesquisadores serão contratados para implementação desta iniciativa.


Autor: RA
Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor