A cloud é intrinsecamente complexa

Negócios

Não há dúvida de que as tecnologias cloud ajudam as organizações a ir ao encontro dos desafios actuais e futuros de modernização das suas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e a inovar em novas ofertas de negócio. Mas a cloud é intrinsecamente complexa – uma solução não se adapta a todos os casos.  Se

Opnião Cameron Mcnaught-01

Não há dúvida de que as tecnologias cloud ajudam as organizações a ir ao encontro dos desafios actuais e futuros de modernização das suas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e a inovar em novas ofertas de negócio. Mas a cloud é intrinsecamente complexa – uma solução não se adapta a todos os casos.

 Se pedirmos a dez pessoas que definam a cloud, iremos obter certamente dez respostas diferentes. A cloud é um termo tão simples, mas há tantas variações – clouds públicas, clouds privadas, clouds externas, clouds verticais, até clouds híbridas. Já para não falar de uma série de termos relacionados como Infrastructure as a Service (IaaS), Platform as a Service (PaaS), Software as a Service (SaaS) e muito mais.

Embora os líderes empresariais possam ter definições distintas de cloud, quase todos concordam que é um passo necessário para se manterem a par da evolução do negócio e da concorrência no mercado. Aliás, a cloud é um dos principais tópicos da actual transformação empresarial.

Não é difícil perceber porquê. Os líderes de hoje estão cada vez mais esmagados por dois tipo de desafio empresarial. Por um lado, as empresas exigem maior eficiência devido a restrições orçamentais. Há uma necessidade de travar os gastos e ter atenção às margens. Ao mesmo tempo, as novas tecnologias criam oportunidades sem precedentes para aumentar as receitas, expandir os serviços e entrar em novos mercados. São eles quem tem de determinar como equilibrar estes dois tipos de desafio. E uma coisa é certa – os velhos e tradicionais sistemas e processos já de nada servem para fazer face aos novos desafios.

A cloud pode e é capaz de responder a esses desafios. Uma estratégia cloud bem executada traz vários benefícios importantes, nomeadamente: inovação (pois as empresas que investem em tecnologia que melhora o negócio para servir os clientes, gerir receita ou disponibilizar produtos e serviços têm maiores probabilidades de ficar à frente da concorrência – tendências globais como os big data, as redes sociais e os dispositivos móveis obrigam organizações de todos os tipos a ‘inovar ou morrer’); agilidade de negócios (através do aproveitamento das vantagens de novas formas de fazer coisas que antes não eram possíveis, e devido a uma infra-estrutura TIC híbrida ou a uma cloud modernizada e muitas vezes globalizada); e elevada disponibilidade (porque num ambiente global, o negócio faz-se 24 horas por dia, 7 dias por semana. Clientes, fornecedores e funcionários esperam ser capazes de aceder às suas aplicações a qualquer hora e em qualquer lugar, e têm pouca tolerância para com o downtime, seja ele manutenção planeada ou fruto de um desastre inesperado).

Apesar de os benefícios de uma estratégia cloud serem claros, a cloud em si é complexa. A mesma solução não se aplica a todos os casos. De acordo com um estudo independente internacional solicitado pela Fujitsu, 59 por cento dos decisores acredita que o planeamento relacionado com a adopção da cloud é mais complexo e difícil na sua empresa, devido ao mix único de cultura corporativa, estruturas organizacionais, presença geográfica, infra-estrutura, processos e outros factores. Por este motivo, a maioria dos decisores cloud rejeita a abordagem ‘do it yourself’, preferindo utilizar os recursos e a competência de um parceiro cloud de confiança. De acordo com o estudo, 78 por cento dos decisores quer um fornecedor que se responsabilize totalmente por parte ou pela totalidade da sua implementação cloud.

Aqui gostaria de distinguir entre fornecedores cloud e parceiros cloud. Para muitas empresas, as suas necessidades cloud são demasiado complexas e afectam demasiadas áreas do seu negócio para confiar apenas num ‘fornecedor’ ou num vendedor que disponibilize um serviço já pronto. No entanto, podem ter vantagens em encontrar um ‘parceiro’, alguém que compreenda a empresa e as suas necessidades e lhe dê exactamente o nível de serviço de que precisa, quando precisa.

À medida que se aproximam da sua decisão cloud, as organizações precisam de ponderar não só as necessidades actuais mas também aquilo de que a empresa vai precisar quando crescer e evoluir. Implementações cloud de sucesso exigem um acesso contínuo aos oito critérios seguintes: uma vasta gama de opções de implementação cloud integradas; soluções que possam ser aplicadas a todo, ou a parte do, ambiente cloud; soluções ponta-a-ponta, apoiadas por acordos de nível de serviço; a capacidade de ligar as infra-estruturas tradicionais e a cloud; parâmetros de segurança fortes em todos os aspectos da solução; suporte global; uma abordagem séria à gestão e à tomada de decisões; um parceiro cloud com competência e experiência.

A cloud pode ser complexa, mas o parceiro certo ajudará a ultrapassar essa complexidade com um portfólio ponta-a-ponta que traz vantagens reais e garante que cada organização está onde precisa de estar para equilibrar os objectivos de curto e longo prazo e responder ao seu próprio mix único de requisitos.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor