Multinacionais apresentam investimentos em pesquisa no Brasil

HOMENegócios

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, recebeu ontem, em reuniões distintas, o presidente de operações para América Latina da Samsung, Sang Chul Lee, e o presidente da Intel Américas, Christopher J. Bruno. Bruno atualizou o ministro a respeito do investimento de R$ 300 milhões, anunciado em fevereiro, para pesquisa, desenvolvimento e inovação

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, recebeu ontem, em reuniões distintas, o presidente de operações para América Latina da Samsung, Sang Chul Lee, e o presidente da Intel Américas, Christopher J. Bruno.

bid writing_service

Bruno atualizou o ministro a respeito do investimento de R$ 300 milhões, anunciado em fevereiro, para pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) em áreas de interesse nacional, no contexto do Programa Estratégico de Software e Serviços de Tecnologia da Informação (TI Maior).

Segundo o presidente da Intel Brasil, Fernando Martins, a empresa vem trabalhando com a comunidade brasileira de desenvolvedores de software. Até o momento, acrescentou o executivo, a companhia envolveu sete universidades em cinco estados em pesquisa básica de tecnologias da informação e comunicação (TICs) para educação, energia e transporte. “São questões de dimensão nacional, como o Siniav [Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos]”, disse.

Na audiência com a Samsung, o presidente de Novos Negócios da empresa na América Latina, Benjamin Sicsú, destacou a instalação de um escritório da companhia sul-coreana no Brasil, em janeiro deste ano. “Nossas decisões para todo o continente agora são tomadas em São Paulo”.

Ele discutiu com o secretário de Política de Informática do MCTI, Virgilio Almeida, soluções para entraves como a escassez de mão de obra técnica qualificada em Manaus, onde a Samsung tem fábrica, e determinados aspectos da Lei de Informática. Em contrapartida, Virgilio sugeriu que a empresa investisse em pesquisa básica no Brasil em proporções equivalentes ao que aplica em desenvolvimento.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor