Portugal quer trabalhar com Brasil em projeto para câncer de mama

HOME

Produzir um aparelho mais eficiente para a detecção preventiva de câncer de mama no Brasil foi a proposta apresentada ao ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Marco Antonio Raupp, pelo diretor do projeto PET da Organização Europeia de Pesquisa Nuclear (Cern), em Portugal, João Varela. A Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET) ainda está

Produzir um aparelho mais eficiente para a detecção preventiva de câncer de mama no Brasil foi a proposta apresentada ao ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Marco Antonio Raupp, pelo diretor do projeto PET da Organização Europeia de Pesquisa Nuclear (Cern), em Portugal, João Varela.

cbf_brasil_t_shirt-1920x1080

A Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET) ainda está em fase de testes em Portugal, em pouco mais de 20 mulheres consultadas, mas, segundo Varela, os resultados são animadores.

“Estamos prontos para compartilhar essa experiência com o Brasil. A tomografia por emissão de pósitrons produz imagens mais nítidas, em 3D, ou em fatias, diagnosticando com mais facilidade e rapidez a presença de câncer”.

Segundo Raupp, para que seja desenvolvida a parceria, é preciso discutir os modelos institucionais adequados. “Evidentemente que o projeto tem que ser enquadrado no programa Inova Empresa associado ao complexo da saúde”.

Responsável pela realização do encontro, o professor titular de física da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) Alberto Santoro ressaltou que o aparelho é capaz de fornecer mais certeza no diagnóstico de câncer, já que as imagens são mais nítidas. “Doze mil mulheres morrem por ano no Brasil porque o câncer de mama não é detectado com rapidez. Esse aparelho poderia resolver esse problema”.

Também participaram da reunião representantes do Ministério da Saúde e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI).


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor