Rio Info 2013 encerra com expectativa de geração de negócios de R$27 milhões

Negócios

Com estimativa de geração de negócios na casa dos R$27 milhões no prazo de doze meses, o Rio Info 2013 encerrou ontem no Rio de Janeiro. O coordenador geral do evento, Benito Paret, destacou o sucesso quantitativo, com inscrição de cerca de 2 mil pessoas e a realização de cerca de 80 diferentes atividades. Somente

Com estimativa de geração de negócios na casa dos R$27 milhões no prazo de doze meses, o Rio Info 2013 encerrou ontem no Rio de Janeiro. O coordenador geral do evento, Benito Paret, destacou o sucesso quantitativo, com inscrição de cerca de 2 mil pessoas e a realização de cerca de 80 diferentes atividades. Somente na Rodada de Negócios foram 173 empresas, 88 do Brasil e 85 estrangeiras.

BI

 

A importância de políticas de incentivo à tecnologia e à produtividade nacional, o marco civil da Internet e a segurança de dados foram temas que marcaram o evento do ponto de vista político. No campo dos negócios houve a forte presença de empresas inovadoras, com aplicativos e softwares diferenciados. Algumas discussões, como as que envolveram a robótica, a transmídia suas tendências e oportunidades, o e-commerce, as experiências de internacionalização, o governo eletrônico e as cidades inteligentes também atraíram os participantes.

O presidente do Sindicato das Empresas de Informática do Rio de Janeiro (TI Rio), Benito Paret, ressaltou que as instituições públicas e privadas têm tido pouca preocupação com a segurança da chamada computação em nuvem e que “não temos uma posição clara sobre este tema por parte do governo”.

Outro assunto destacado por Paret foi o da necessidade de investir no desenvolvimento de aplicativos voltados para a realidade brasileira: “nossa língua portuguesa, história, geografia, educação social”. Segundo disse, a falta dessa visão gera “alienação da nacionalidade, principalmente na juventude”.

Luiz Antônio Rodrigues Elias, secretário executivo do Ministério da Ciência e Tecnologia, disse que o governo federal está engajado em desenvolver políticas públicas que fomentem o desenvolvimento da área de TI “Estamos tentando impulsionar o Brasil. A questão da inovação não é risco, mas deve ser vista como investimento para a estruturação nacional”, finalizou.

Entre os anúncios feitos durante o evento estiveram os do secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, Gustavo Tutuca, de lançamento do Programa Startup Rio de Janeiro, por meio de um edital de R$ 5milhões da Faperj (Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro) no início do próximo mês. O objetivo é selecionar propostas de negócios para o setor de TI e transformá-las em empresas.

Já Paulo Coelho, presidente do Proderj, disse que o governo do estado do Rio de Janeiro deve lançar no início de 2014 a chamada de manifestação de interesse da uma Parceria Público-Privada para a construção de uma rede de alta velocidade do estado. O objetivo é substituir as redes atuais contratadas da Oi – que fornece uma rede MPLS ao estado e serviços de telefonia fixa – por uma rede própria que integre voz e dados.

Alexandre G. Evsukoff, professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV) disse que a entidade está desenvolvendo um projeto de Big Data para o monitoramento da população da Região Metropolitana do Rio de Janeiro a partir dos CDR das ligações de usuários das operadoras celulares. O projeto vai identificar os padrões de mobilidade de um universo de 2 milhões de pessoas e poderá ser utilizado para o desenvolvimento de politicas públicas e planejamento na área de transporte e controle de epidemias.

Inovação de departamento de tecnologia da informação do NOS. Operador Nacional do Sistema (ONS) informou que a entidade conduz coleta de dados em tempo real de tensão, corrente e frequência por meio de sensores instalados em linhas de transmissão e sistemas de geração de energia. O projeto está sob a responsabilidade da área de inovação do ONS, que vai analisar dados coletados 60 vezes por segundo em um volume próximo a 200 terabytes.

Prêmios – O War Games uma competição que testa a segurança dos sistemas de informática, teve mais de 100 inscritos de onze estados. O vencedor foi Laercio da Silva Motta, analista de suporte GTI na Fundação Parque Tecnológico Itaipu em Foz do Iguaçu (PR). O DEV Rumble, competição focada no desenvolvimento, e que obedece a critérios como a criação do site em 48 horas, design, grau de inovação e completude teve vencedor é o “www.xingue seuamigo.com.br”(RJ).

A Copa Rio Info de Algoritmo (CRIA), promovida pelo Sindicato das Empresas de Informática do Rio de Janeiro (TI Rio) e pela Federação das Empresas de Informática (Fenainfo)  mobilizou 16 estados brasileiros, com 67 instituições inscritas. Estudantes de todo Brasil estudantes de nível médio e técnico de 67 escolas, de 16 estado participaram. O vencedor foi o Colégio Técnico de Campinas da Unicamp –Cotuca.

Na Rodada de Negócios a vencedora, como empresa de maior sucesso no estabelecimento de parcerias, foi a SoftInov,  de Portugal. No Salão da Inovaçãoparte do evento há cinco edições, três trilhas foram contempladas, com participação de empresas brasileiras e estrangeiras.Na trilha exportação a vencedora foi Software Haus, de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, que desenvolveu um aplicativo para controle de exportações no setor do couro.

Na trilha experiente a vencedora foi a CrowdMobi, de Alagoas. É um aplicativo que mede o nível de experiência do usuário com as operadoras de telefonia móvel e gera dados sobre a qualidade dos serviços prestados.

Na trilha Startup a vencedora foi a Glam ST, empresa uruguaia, que criou um site onde os usuários podem postar suas fotografias, para simulação de maquiagens.

Nesta categoria três empresas, Software Haus,  CrowdMobi e Meu Peludo da UKTI (agência de apoio à exportação do Reino Unido) uma viagem a Londres para cada uma  e  a GlamST recebe um workshop do Startup Dev.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor