Robótica é tema de seminário no Rio Info 2013

EmpresasNegócios

Sistemas compostos por partes mecânicas automáticas e controladas por circuitos integrados, a robótica ganhou visibilidade em muitos ‘humanoides’ divulgados pela mídia. Mas a ideia de se construir robôs começou a tomar força no início do século XX com a necessidade de aumentar a produtividade e melhorar a qualidade dos produtos. O tema ganhará destaque no

Sistemas compostos por partes mecânicas automáticas e controladas por circuitos integrados, a robótica ganhou visibilidade em muitos ‘humanoides’ divulgados pela mídia. Mas a ideia de se construir robôs começou a tomar força no início do século XX com a necessidade de aumentar a produtividade e melhorar a qualidade dos produtos. O tema ganhará destaque no Rio Info 2013. A trilha Robótica e Internet das Coisas integra o evento temático Tecnologias Inovadoras, que será realizado no dia 17 setembro das 16h às 18h.

computer chip

Segundo Ney Robson Salvi, responsável pelo Laboratório de Robótica do Centro de Pesquisa da Petrobras (Cenpes), discutir o tema é um incentivo para desenvolvimento e materialização de uma cultura brasileira em sistemas robóticos. “Há uma grande procura de pessoas interessadas em estudar e trabalhar em robótica e disciplinas correlatas”.

O Rio Info, diz, será uma grande oportunidade de difundir o tema e principalmente expor a capacidade do brasileiro de aprender muito rápido, absorver a linguagem e propor coisas inusitadas: “Nossa criatividade, jeito de ver o mundo e ousadia diante de desafios nos proporciona um trabalho diferenciado”.

Mas a discussão sobre robótica ainda esbarra em alguns problemas pendentes, que merecem atenção. De acordo com Ney, robôs ou sistemas autônomos, independente do grau de sofisticação que tenham sido projetados e construídos esbarram sempre em problemas relacionados à energia, comunicação e sensores embarcados. “Acredito ser vital para a atividade no Brasil que as instituições de fomento à pesquisa e universidades aumentem a ênfase em tais disciplinas, respectivamente em suas chamadas públicas e em suas grades curriculares”.

Para Ney Robson, o investimento na pesquisa será uma base para que empresas encubadas, ou mesmo pequenas empresas de base tecnológica possam surgir, fomentando, assim um ciclo virtuoso onde todas as etapas do processo serão dominadas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor