E-commerce brasileiro triplica em 4 anos

HOME

A forte escalada do comércio eletrônico no país, apontada como tendência por especialistas, está se confirmando. Dados divulgados pela Federação do Comércio do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) indicam que o faturamento do e-commerce do País saltou de R$ 8,2 bilhões em 2008 para R$ 28 bilhões em 2012, um crescimento maior do que 3,4 vezes. Para

A forte escalada do comércio eletrônico no país, apontada como tendência por especialistas, está se confirmando. Dados divulgados pela Federação do Comércio do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) indicam que o faturamento do e-commerce do País saltou de R$ 8,2 bilhões em 2008 para R$ 28 bilhões em 2012, um crescimento maior do que 3,4 vezes.

ecommerce1

Para a Fecomércio-RJ, o crescimento exponencial este crescimento expressivo é apenas um dos indícios do forte potencial do comércio online nos próximos anos. Quanto maior for a penetração do acesso à internet, maior será o potencial de negócios online.

O estudo revela que embora a utilização da internet no País tenha crescido em 115%, na comparação com 2003, o índice das pessoas que  ainda não tem acesso à rede representa 56% da população. Levando-se em conta que apenas em 2011 foram movimentados mais de R$ 2,5 trilhões, incluindo-se os negócios eletrônicos e os realizados nas lojas físicas, existe muito espaço para crescer no e-commerce.

Entre os nichos de mercado com forte presença na internet, o segmento de eletrodomésticos é o campeão em desempenho, com 15% das vendas online no varejo. Em seguida aparecem as áreas de informática (12%) e de Eletrônicos (8%). As vendas de Saúde & Beleza e Moda & Acessórios respondem, cada uma, por 7% dos negócios, enquanto outros 51% se distribuem por demais segmentos, como bebidas, construção, papelaria, livros etc.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor