IBM investiga nova forma de alimentar processadores

e-MarketingEmpresasEscritórioNegócios

Os engenheiros da IBM estão a investigar novas formas de arrefecer e alimentar os processadores. A solução passa por ter um eletrólito que agirá como uma espécie de sangue eletrónico. Um dos problemas que os processadores têm é que, à medida que aumentam o seu desempenho, aumentam também a quantidade de calor produzido. Por este

Os engenheiros da IBM estão a investigar novas formas de arrefecer e alimentar os processadores. A solução passa por ter um eletrólito que agirá como uma espécie de sangue eletrónico.

o_7baaea98c03adb2d_html_m7d495e4dUm dos problemas que os processadores têm é que, à medida que aumentam o seu desempenho, aumentam também a quantidade de calor produzido. Por este motivo, torna-se necessário gastar mais energia para arrefecê-lo.

Com base neste problema, a IBM começou à procura de uma nova solução. De acordo com a BBC, os investigadores Patrick Ruch e Bruno Michel construíram um protótipo de um chip que contém canais minúsculos pelos quais circula um fluido que arrefece os componentes.

O fluido é um eletrólito que arrefece e alimenta os componentes com energia elétrica.

Bruno Michel diz que “a indústria dos computadores usa 30 mil milhões de dólares de energia e deita-a fora. Estamos a criar ar quente por 30 mil milhões”.

O protótipo ainda está numa fase muito inicial e, segundo a visão destes cientistas da IBM, com esta tecnologia poderemos ter, em 2060, um computador com uma potência de um petaflop na nossa secretária.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor