Oi e PT assinam acordo para fusão

EmpresasNegócios

A Portugal Telecom anunciou que assinou um acordo de intenções com a Oi que define princípios essenciais para uma proposta de fusão entre a PT, a Oi e as holdings da Oi. A fusão dará origem a uma empresa denominada CorpCo. Zeinal Bava será o CEO da empresa. O acordo visa tornar as diversas sociedades

A Portugal Telecom anunciou que assinou um acordo de intenções com a Oi que define princípios essenciais para uma proposta de fusão entre a PT, a Oi e as holdings da Oi. A fusão dará origem a uma empresa denominada CorpCo. Zeinal Bava será o CEO da empresa.

4083oi

O acordo visa tornar as diversas sociedades numa “única e integrada sociedade cotada brasileira”, segundo a PT, que adiantou, também, que a CorpCo irá beneficiar da maior escala e da posição de liderança em Portugal e no Brasil e que “a melhoria de eficiência operacionais e financeiras” resultantes da operação pode gerar sinergias com um valor atual líquido de 550 milhões de reais.

Segundo a PT, a fusão é uma consequência natural da aliança industrial estabelecida entre as duas empresas em 2010. A operação tem o apoio dos dois principais acionista da Portugal Telecom: BES (Avistar) e Ongoing (Nivalis).

O conselho proposto para os três primeiros anos integra Alexandre Jeireissati Legey, Amílcar Morais Pires, Fernando Magalhães Portela, Fernando Marques dos Santos, José Maria Ricciardi, Nuno Vasconcellos, Rafel Mora, Renato Torres de Faria e Sérgio Franklin Quintella.

Os termos da operação, com base nas cotações médias ponderadas pelo volume das ações da Oi e da PT no 30 dias anteriores ao anúncio propõem que uma ação ordinária da Oi será trocada por uma ação da CorpCo, que uma ação preferencial da Oi será trocada por 0,9211 ações da CorpCo, que uma ação da PT será trocada por um número de ações da CorpCo equivalente a 2,2911 euros (a emitir ao mesmo preço do aumento de capital da Oi), a que acrescerão 0,6330 ações da CorpCo.

As ações da nova sociedade serão admitidas à negociação no segmento do novo mercado da BM&FBOVESPA, na NYSE Euronext e na NYSE, beneficiando de uma maior liquidez e de uma base acionista diversificada. Os requisitos de admissão à negociação nestes mercados irão garantir a adoção das melhores práticas de governo da sociedade que, “considerando os dados financeiros reportados para o exercício de 2012 da PT e da Oi”, obteve receitas proforma de 37.500 milhões de reais, um lucro operacional bruto de 12.800 milhões de reais e um cash flow operacional de 4200 milhões de reais.

Com esta fusão, a CorpCo irá beneficiar da “cobertura única da Oi no Brasil” e da “experiência da PT no mercado português”.

A nova empresa terá uma equipa de gestão única liderada por Zeinal Bava, sendo o conselho de administração será presidido por José Mauro Carneiro da Cunha e vice-presidido por Henrique Granadeiro.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor