Teles querem m-payment dentro do SPB

HOME

Em novembro, o Banco Central divulgará a nova regulamentação para os serviços de pagamentos móveis. As operadoras de telefonia móvel esperam que suas suas subsidiárias de m-payment sejam incluídas no Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB). O SPB é um sistema integrado para viabilizar a liquidação de transferências interbancárias em tempo real, do qual fazem parte

Em novembro, o Banco Central divulgará a nova regulamentação para os serviços de pagamentos móveis. As operadoras de telefonia móvel esperam que suas suas subsidiárias de m-payment sejam incluídas no Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB).

m-payment

O SPB é um sistema integrado para viabilizar a liquidação de transferências interbancárias em tempo real, do qual fazem parte instituições financeiras, Banco Central, CBLC, CIP,dentre outros entes públicos e privados. A participação no SPB reduziria muito os custos das operações de liquidação, aproveitando o ganho de escala desse sistema.

A regulamentação vai detalhar como funcionará a interoperabilidade entre os serviços de pagamento móvel no Brasil, o que é uma das exigências da lei sancionada pelo governo federal. Hoje, os serviços existentes permitem transferências apenas entre clientes de suas próprias bases. Ou seja: um cliente do Zuum, serviço de m-payment da Vivo, atualmente só consegue transferir dinheiro de sua conta para outro cliente Zuum. Para viabilizar a interoperabilidade, as teles precisarão contratar um serviço de clearing financeiro, tal como fazem hoje para o clearing de interconexão de chamadas.

Caso seja aceita a inclusão, as operadoras não entrarão diretamente no SPB, mas por meio de suas divisões de pagamentos, como a MFS (Vivo) e MPO (Claro). A MFS é uma joint-venture entre Vivo e Mastercard, e  a MPO é a joint-venture entre Claro e Bradesco.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor