Big data é ferramenta crucial para companhias aéreas

Big DataData StorageHOME

Na guerra das tarifas, uma atenção especial com o cliente pode ser o ponto culminante na decisão de qual companhia será escolhida. É pensando nisso que as principais empresas aéreas estão investindo em inteligência para entender melhor o que preferem e precisam na hora de voar. Conforme noticiou o The Wall Street Journal, existe um

Na guerra das tarifas, uma atenção especial com o cliente pode ser o ponto culminante na decisão de qual companhia será escolhida. É pensando nisso que as principais empresas aéreas estão investindo em inteligência para entender melhor o que preferem e precisam na hora de voar.

flight attendant

Conforme noticiou o The Wall Street Journal, existe um movimento da indústria da aviação comercial para atingir um novo patamar de atendimento mesmo com contenção de custos. “Os dados são a chave para quase tudo que estamos fazendo”, disse ao jornal Maya Leibman, diretora de TI da American Airlines.

Os agentes de solo e a equipe de bordo recebem com antecedência informações como a conta corporativa, as milhas e as viagens recentes com a empresa. Mas para preservar a privacidade dos passageiros, os comissários não podem salvar localmente as informações. Assim, uma vez utilizadas, não existe um “rastro” digital do passageiro fora dos servidores da empresa.

Tanto a American Airlines, quanto a British Airways, United Continental Holdings e a JetBlue Airways estão utilizando base unificada de dados e big data para cruzar informações, para aplicar identificadores únicos, como número no programa de fidelidade ou o e-mail.

“Nós temos um sistema que pode informar onde os cinco principais clientes estão no avião”, informou ao Wall Street Dave O’Flanagan, diretor-presidente da Boxever, que presta serviços de análise de big data para as três companhias.

A United Airlines está cruzando seus 3,5 petabytes de dados, enquanto reformula seu website, seus quiosques e aplicativos móveis. Assim, pode direcionar as vendas dos assentos mais caros, denominados “economy-plus”, para aqueles com mais propensão a pagar o extra.

A JetBlue Airways e a Qantas utilizam tablets para saber o aniversário de seus passageiros, se o cliente já fez a refeição no aeroporto ou não deseja ser incomodado durante o trajeto. Segundo levantamento da Qantas, a maioria dos passageiros afirmou que gostariam que as informações fosse usadas para algo útil, mas que queriam ter sua privacidade preservada.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor