Brasil lidera ranking de ataques cibercriminosos

EmpresasHOMENegóciosSegurança

A empresa de segurança Kaspersky Lab fez um levantamento sobre os principais tipos de ameaça que ocorreram ao longo de 2013 e sobre quais são as perspetivas para 2014. Os ataques mais frequentes ao longo de 2013 tinham como objetivo roubar dinheiro das vítimas. Estes ataques eram feitos através de malwares instalados diretamente nas caixas

A empresa de segurança Kaspersky Lab fez um levantamento sobre os principais tipos de ameaça que ocorreram ao longo de 2013 e sobre quais são as perspetivas para 2014.

Os ataques mais frequentes ao longo de 2013 tinham como objetivo roubar dinheiro das vítimas. Estes ataques eram feitos através de malwares instalados diretamente nas caixas eletrônicas ou no roubo de moedas Bitcoin por meio do Skype ou de arquivos PACs.

crime-scene_00357595-01

A liderar o ranking dos grupos de cibercriminosos com ataques mais organizados estão o Peru e o Brasil. Os dois países também lideram a lista dos que mais sofrem tentativas de infeção por malware, com 49,78% e 49,04%, respectivamente.

O ranking é completado pelo México, em terceito lugar, com 48,12%; seguido da Colômbia (43,4%), Argentina (43,26%) e Chile (37,93%).

Dmitry Bestuzhev, diretor da equipe de pesquisa e análise para a Kaspersky Lab na América Latina explicou que “Os cibercriminosos oriundos do Brasil e Peru dividiram o continente atacando vítimas em sua língua nativa. Além disso, os dois grupos entraram em contato com crackers da Rússia e outros países da ex-União Soviética e estão adquirindo o conhecimento e a tecnologia para implementá-las na região. Como resultado, os ataques tornam-se mais complexos e mais bem sucedidos, porque combinam a tecnologia de seus contatos no Leste Europeu e da engenharia social, que explora as fraquezas das pessoas na América Latina.”

Previsões para 2014

Para 2014, a empresa prevê que o principal alvo continuem a ser os usuários e o seu dinheiro.

Os cibercriminosos da América Latina continuarão a procurar novas maneiras de roubar. Se o Bitcoin não perder drasticamente o seu valor, ele será um dos principais alvos dos criminosos;

Outro dos alvos são os dispositivos Android: este sistema operacional é fácil de atacar, porque a maioria dos usuários não protege seus dispositivos com uma solução antivírus. Como esses dispositivos se tornam cada vez mais utilizados para pagamentos online, os hackers começam a desenvolver novas técnicas para roubar dados dos usuários;

Em relação às infraestrutura de RPT, a companhia prevê que os cibercriminosos que exploram a América Latina continuarão a adotar este tipo de infraestrutura para armazenar a informação e operações em geral;

Outro ponto importante é a realização da Copa do Mundo FIFA no Brasil em 2014. Nest altura são esperados muitos tipos de ataques, desde malwares a ataques de DDoS.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor