Remédios de nicho movimentam R$ 4 milhões com e-commerce

E-commercee-MarketingHOMENegócios

Especializada em remédios de nicho, como os oncológicos, a Sare Drogarias, de São Paulo, conseguiu compor 90% de sua receita confiando no e-commerce. Com faturamento de R$ 4 milhões até novembro desse ano, a Sare obteve 40% a mais do que o registrado em 2012. A escolha dos remédios mais difíceis de serem encontrados nas

Especializada em remédios de nicho, como os oncológicos, a Sare Drogarias, de São Paulo, conseguiu compor 90% de sua receita confiando no e-commerce. Com faturamento de R$ 4 milhões até novembro desse ano, a Sare obteve 40% a mais do que o registrado em 2012.

remedios

A escolha dos remédios mais difíceis de serem encontrados nas grandes redes concorrentes foi o caminho encontrado para que a empresa se destacasse. O forte marketing digital também foi um viabilizador desse sucesso.

“O diferencial em nosso e-commerce é que conseguimos aliar essa segmentação ao posicionamento em mídias digitais – com vários canais de atendimento, fanpages, diversas formas de pagamento e entregas mais rápidas. Conseguimos oferecer itens que normalmente são mais caros por preços atraentes”, afirma Gustavo Amorim, da Sare.

A estratégia agressiva de preços traz vantagens ao consumidor e multiplica as vendas. Por exemplo, o Anastrozol, usado por mulheres durante o tratamento do câncer de mama, é encontrado nos concorrentes por R$ 279 e a Sare consegue chegar a R$ 127 para venda.

A loja física da Sare foi inaugurada em 2007, e três anos depois foi consolidada a loja online. Pela operação de e-commerce, a Sare conta com 10 mil itens em estoque e faz entregas em todo o Brasil.

Segundo o IMS Health, o Brasil deverá ser o 6° país com maior consumo de medicamentos em 2015. O comércio eletrônico reflete essa tendência: o segmento de Cosméticos/Medicamentos detém 12,2% do mercado de e-commerce, o terceiro maior do Brasil, e deve crescer 35% apenas neste ano.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor