Senado aprova obrigatoriedade de tablets em escolas públicas

HOMEMobilidade

A Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) do Senado aprovou o projeto de lei (PLS 109/2013), que estabelece que em até dez anos as escolas públicas devem oferecer tablets a todos os estudantes matriculados a partir do sexto ano do ensino fundamental. O projeto também define que até o início do ano

A Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) do Senado aprovou o projeto de lei (PLS 109/2013), que estabelece que em até dez anos as escolas públicas devem oferecer tablets a todos os estudantes matriculados a partir do sexto ano do ensino fundamental. O projeto também define que até o início do ano letivo de 2018, pelo menos metade de todos os alunos da rede tenha acesso aos dispositivos móveis.

Tablet escola

O projeto de lei, de autoria do senador Cícero Lucena (PSDB-PB), também obriga os estabelecimentos de ensino a oferecerem acesso à internet. Outra demanda é que sejam disponibilizados programas e aplicativos didáticos para uso nos aparelhos, inclusive para alunos com necessidades especiais. Professores e profissionais da educação receberão treinamento e capacitação para entender e utilizar equipamentos dentro do projeto pedagógico das escolas.

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF), relator da matéria, alerta que há dois obstáculos a serem transpostos ma implementação da medida. Para ele, é importante financiar e articular a produção de programas, jogos e aplicativos educacionais em língua portuguesa e adaptados à nossa realidade cultural e ao nosso programa de ensino. A capacitação dos professores também é crucial, ou os equipamentos, em vz de ferramentas de ensino, poderão se tornar apenas distrações tecnológicas ao aprendizado.

Para evitar que o projeto caia no vazio, Buarque apresentou duas emendas. A primeira diz que os equipamentos só serão entregues à escola pública cujo corpo docente tenha sido devidamente capacitado. A segunda estabelece que a União deverá realizar, em parceria com estados e municípios, pelo menos uma avaliação quantitativa do efeito do uso desses equipamentos no desempenho escolar dos alunos da rede pública. A emenda estabelece ainda que a entrega dos equipamentos deverá ser planejada para facilitar a execução da metodologia de avaliação.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor