Brasil pode movimentar US$ 70 bilhões com ‘internet das coisas’

CloudHOMENegócios

Pesquisa da Cisco Systems, que reuniu dados de 40 estudos de caso em 12 países, estimou que “internet de todas as coisas” (IoE, na sigla em inglês) deve gerar um valor econômico de US$ 70 bilhões no Brasil, impulsionado pelo setor público. Globalmente, estima-se que IoE será uma oportunidade de criação de valor de US$

Pesquisa da Cisco Systems, que reuniu dados de 40 estudos de caso em 12 países, estimou que “internet de todas as coisas” (IoE, na sigla em inglês) deve gerar um valor econômico de US$ 70 bilhões no Brasil, impulsionado pelo setor público.

InternetofThings

Globalmente, estima-se que IoE será uma oportunidade de criação de valor de US$ 19 trilhões para empresas e governos nos próximos dez anos.

Dentre os 12 países pesquisados, o Brasil está classificado na 9ª posição em relação ao montante gerado por iniciativas públicas ligadas à internet das coisas nas esferas municipal, estadual e federal. De acordo com a Cisco, o país deve gerar US$ 70 bilhões na próxima década. EUA e China movimentarão, respectivamente, US$ 585 bilhões e US$ 291 bilhões.

“A Internet de Todas as Coisas está transformando a forma como as cidades prestam serviços e os cidadãos interagem com o governo”, afirmou em nota Wim Elfrink, vice-presidente executivo de soluções industriais e diretor de globalização da Cisco. Segundo o relatório, a IoE pode ajudar governos a gerar valor economizando dinheiro, melhorando a produtividade dos funcionários, gerando novas receitas (sem aumentar impostos) e aprimorando os benefícios para os cidadãos.

Edifícios inteligentes poderão gerar US$ 100 bilhões, diminuindo custos operacionais ao reduzir o consumo de energia através da integração de HVAC (sistemas de ventilação, refrigeração e ar condicionado) a outros sistemas. O controle preciso do consumo de água pode gerar US$ 39 bilhões, com a conexão do medidor doméstico com a rede, para obtenção de informações remotas sobre uso.

O aumento da produtividade dos funcionários deve gerar ganhos de US$ 1,8 trilhão na próxima década, seguido pela defesa militar conectada (US$ 1,5 trilhão), redução de custos operacionais (US$ 740 bilhões), experiência dos cidadãos (US$ 412 bilhões) e, finalmente, o aumento da receita (US$ 125 bilhões) serão benefícios diretos da conectividade perene.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor