Distrito Federal terá projeto piloto de TV interativa

HOMESoftware

Depois de anos de promessas e muito investimento, finalmente o Ginga, middleware brasileiro de interatividade do sistema digital de TV, vai entrar em operação para valer. A partir de 15 de fevereiro, 300 famílias atendidas pelo Programa Bolsa Família no Distrito Federal vão usar a televisão para acessar benefícios e serviços dos governos federal e

Depois de anos de promessas e muito investimento, finalmente o Ginga, middleware brasileiro de interatividade do sistema digital de TV, vai entrar em operação para valer.

cms-image-000351716

A partir de 15 de fevereiro, 300 famílias atendidas pelo Programa Bolsa Família no Distrito Federal vão usar a televisão para acessar benefícios e serviços dos governos federal e distrital. Os usuários poderão fazer consultas a vagas de emprego, oportunidades de capacitação profissional; ter acesso ao calendário de vacinação, além de acessar conteúdos e serviços bancários e de aposentadoria.

As famílias farão parte dos testes do Projeto Brasil 4D, coordenado pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC). O teste será acompanhado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que irá fazer uma pesquisa de campo e divulgar um documentário sobre o projeto. A expectativa é que em dez anos o projeto alcance as mais de 13 milhões de famílias beneficiárias do programa.

Por meio de um conversor, que possibilita que mesmo TVs de tubo de baixa definição acessem transmissões digitais, os moradores tiveram acesso a oferta de empregos, a cursos de capacitação e a orientações para obtenção de documentos, além de informações sobre serviços e benefícios do governo federal, como aposentadoria, campanhas de saúde e os programas Bolsa Família e Brasil Carinhoso.

A transmissão dos dados será feita por meio de tecnologia 3G, e será totalmente custeada pelo governo. A intenção é levar os benefícios da internet à famílias de baixa renda que ainda não têm acesso à banda larga.

Segundo André Barbosa, superintendente de Suporte da EBC,coordenador e idealizador do Projeto Brasil 4D, o projetotem impacto positivo na qualidade devida dos cidadãos mais carentes. “As famílias economizaram por não ter que pegar ônibus e ir até os lugares para procurar emprego ou capacitação, conseguir informações. Fizeram tudo pela TV”, explica. Ele calcula que, quando o projeto estiver em vigor, a economia possa chegar, em dez anos, a um total de R$ 7 bilhões.

O Projeto Brasil 4D deve ser testado na cidade de São Paulo em abril e maio. Os temas oferecidos serão saúde e educação. Os usuários poderão agendar consultas no Sistema Único de Saúde (SUS). Participarão do teste 2,5 mil famílias no primeiro semestre e mais 2,5 mil no segundo semestre. Entre os parceiros no projeto estão o Banco do Brasil, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a Caixa Econômica Federal, o DataSUS, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Totvs, HMATV, Oi, a Telebras e o governo do Distrito Federal.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor