Rússia espionou companhias em todo o mundo

Segurança

Uma empresa de cibersegurança dos Estados Unidos reuniu evidências de que o governo russo espionou centenas de companhias norte-americanas, europeias e asiáticas. De acordo com a empresa CrowdStrike, o esquema de espionagem incluem companhias de energia e tecnologia, algumas das quais perderam valiosa propriedade intelectual. A CrowdStrike não quis entrar em detalhes sobre essas perdas

Uma empresa de cibersegurança dos Estados Unidos reuniu evidências de que o governo russo espionou centenas de companhias norte-americanas, europeias e asiáticas.

security_lock_circuit_board-100039500-orig

De acordo com a empresa CrowdStrike, o esquema de espionagem incluem companhias de energia e tecnologia, algumas das quais perderam valiosa propriedade intelectual.

A CrowdStrike não quis entrar em detalhes sobre essas perdas ou dizer o nome das vítimas, devido às questões confidenciais da sua investigação.

Dmitri Alperovitch, funcionário da CrowdStrike, explicou que “Esses ataques parecem ter sido motivados pelo interesse do governo russo em ajudar a sua indústria a manter a competitividade em áreas de importância nacional”. O funcionário disse ainda que esta é a primeira vez que o governo russo é ligado a ações desse tipo contra empresas.

Segundo a CrowdStrike, à 30 anos que os governos têm usado redes de computadores para espionar. Este é um tipo de programa de vigilância implementado praticamente por todos os países.

A CrowdStrike tem seguido as atividades de um grupo russo de hackers chamado “Urso Energético”. A empresa acredita que o governo russo está por trás da campanha por causa de indicadores técnicos, da análise dos alvos escolhidos e das informações roubadas.

As vítimas são empresas de energia europeias, prestadores de serviço na área de defesa, companhias de tecnologia e agências de governo.

A indústria e o setor de construção nos Estados Unidos, na Europa e no Oriente Médio, assim como provedores de assistência médica nos EUA, também são citados como alvo no relatório divulgado pela Internet nesta quarta.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor