A evolução dos Samsung Galaxy S ao longo dos tempos

MobilidadeNegócios

Com a apresentação do Samsung Galaxy S5, a empresa coreana quis demonstrar a evolução do seu smartphone icônico que a levou a ser a fabricante de aparelhos Android mais importante do mundo. Apesar do iPhone ser o único smartphone que gerou mais expectativas do que o Samsung Galaxy S, e embora existam muitas outras marcas

Especial BR

Com a apresentação do Samsung Galaxy S5, a empresa coreana quis demonstrar a evolução do seu smartphone icônico que a levou a ser a fabricante de aparelhos Android mais importante do mundo.

SAMSUNG CSC

Apesar do iPhone ser o único smartphone que gerou mais expectativas do que o Samsung Galaxy S, e embora existam muitas outras marcas com aparelhos mais potentes, baratos e com mais funções, tanto a empresa americana quanto a sul-coreana se transformaram em referências na área dos smartphones, marcando as tendências a seguir.

No caso do Samsung Galaxy S, desde a sua primeira versão até este último S5, já passaram mais de quatro anos e a evolução nesse curto período de tempo foi notável.

Longe do Samsung Galaxy S com uma CPU de um único núcleo Cortex-A8 a 1GHz e uma discreta GPU PowerVR SGX540, podemos agora encontrar no S5 um SoC com um processador Qualcomm MSM8974AC 801 de quatro núcleos a 2,5 GHz e poderosa GPU Adreno 330.

Embora fato,  a evolução, no que diz respeito ao Galaxy S4, foi muito mais discreta, com uma RAM de 2 GB e tela Full HD com 5,1 polegadas, em comparação com as cinco polegadas do S4.

A bateria aumentou dos 1500 mAh para os 2800 mAh, e no que tange a câmera, passou dos cinco megapixels do primeiro Galaxy para os 16 MP dos atuais, com capacidade de vídeo 4K. Além dos muitos sensores e extras do S5, que o S4 já tinha, foram adicionados um medidor de tensão arterial, leitor de impressões digitais e o esperado IP67, com que agora se torna resistente à água e à poeira.

Resta saber se o consumidor será seduzido pela pequena evolução entre a geração passada e atual. Com um design que já mostra sinais de cansaço e recursos que correm atrás dos concorrentes (resistência à água e poeira são realidade na Sony desde o ano passado), a Samsung precisa inovar mais se quiser enfrentar a Apple, Lenovo, LG e Nokia, que vem com tudo para morder um pedaço do seu mercado.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor