Brasil está entre os dez mais em conexões M2M

HOMEM2MMobilidadeRedes

A GSMA (GSM Association) divulgou estudo que aponta o Brasil como um dos países com mais conexões de telefonia celular destinadas à comunicação entre máquinas, como dispositivos de pagamento (as populares “maquininhas de cartão”) e outras modalidades de comunicação direta. China, EUA, Japão, França, Itália, Reino Unido, Rússia, Alemanha e África do Sul também fazem

A GSMA (GSM Association) divulgou estudo que aponta o Brasil como um dos países com mais conexões de telefonia celular destinadas à comunicação entre máquinas, como dispositivos de pagamento (as populares “maquininhas de cartão”) e outras modalidades de comunicação direta.

m2m_2

China, EUA, Japão, França, Itália, Reino Unido, Rússia, Alemanha e África do Sul também fazem parte do ranking. O levantamento mostrou que as operadoras estão melhorando seu leque de soluções M2M, popularizando e simplificando o uso da tecnologia.

Juntos, os dez países listados representam respondem por 70% da base global de conexões M2M, que em 2013 chegou a 195 milhões. A participação de M2M sobre a base mundial de linhas móveis dobrou de dezembro de 2012 e dezembro de 2013, pulando de 1,4% para 2,8%.

O cenário é promissor. Algumas operadoras inclusive já contam com divisões especializadas para o segmento, adaptando as soluções para variadas verticais de negócios. 40% do total de operadoras do planeta, cerca de 428 teles em 187 países, vendem serviços de M2M.

Além do setor de pagamentos, a tecnologia de comunicação também tem sido usada no setor de energia, indústria automotiva e saúde.

No caso da indústria da energia, medidores inteligentes se comunicam em tempo real com as companhias elétricas, ajudando na identificação de padrões de consumo e preparando a empresa para picos de consumo. Nos veículos, telemetria em tempo real é aliada ao monitoramento de acidentes, o que pode salvar vidas.

Entre 2010 e 2013, o crescimento médio anual da base mundial de conexões M2M foi de 38%. Nesse período, a região com maior crescimento médio foi a Ásia (55% ao ano), seguida pela América Latina (44% ao ano) e pela África (41% ao ano). A previsão da GSMA é de que a base mundial de M2M alcance 250 milhões de linhas ao final de 2014.

Segundo a Anatel, o Brasil fechou 2013 com 8,2 milhões de conexões M2M, o que corresponde a cerca de 3,1% da base nacional de conexões móveis.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor