Europa discute rede europeia contra espionagem dos EUA

EmpresasNegóciosSegurança

A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou que irá conversar com o presidente francês, François Hollande, sobre a construção de uma rede de comunicação europeia para evitar que emails e outros dados passem pelos Estados Unidos, avançou a agência Reuters. Merkel, que falou neste sábado antes de uma visita à França, vem pressionando por mais proteção

A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou que irá conversar com o presidente francês, François Hollande, sobre a construção de uma rede de comunicação europeia para evitar que emails e outros dados passem pelos Estados Unidos, avançou a agência Reuters.

Merkel

Merkel, que falou neste sábado antes de uma visita à França, vem pressionando por mais proteção aos dados na Europa, na esteira de relatos do ano passado sobre a espionagem em massa na Alemanha e em outros lugares por parte da norte-americana Agêncial de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês). Até o celular de Merkel foi monitorado por espiões dos Estados Unidos.

Em sua mensagem semanal, Merkel disse desaprovar que empresas como Google e Facebook sediem suas operações em países com poucas salvaguardas para a proteção de dados ao mesmo tempo em que são ativas em países como a Alemanha, que tem grande proteção de dados.

“Conversaremos com a França sobre como podemos manter um alto nível de proteção de dados”, afirmou Merkel antes de viajar para Paris na quarta-feira.

“Acima de tudo, conversaremos sobre provedores europeus que ofereçam segurança para nossos cidadãos, para que ninguém tenha que enviar emails e outras informações através do Atlântico. Ao invés disso, seja possível construir uma rede de comunicação dentro da Europa”.

A espionagem governamental é um tema especialmente delicado na Alemanha, dada a grande vigilância de cidadãos praticada na comunista Alemanha Oriental e sob Hitler. O país ficou chocado com os relatos de vigilância da NSA na Alemanha, baseados em informações do ex-técnico Edward Snowden.

“Temos que fazer mais pela proteção de dados na Europa, não há dúvida disso”, disse Merkel.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor