GSMA anuncia programa com governo brasileiro e operadoras

HOMEMobilidade

A GSMA anunciou no MWC 2014 várias iniciativas para melhorar o alcance e a escala dos serviços móveis no Brasil, em benefício de seus cidadãos e empresas. Paulo Bernardo, ministro das Comunicações do Brasil, e Anne Bouverot, diretora geral da GSMA, assinaram um acordo sob o qual a GSMA e o Governo brasileiro vão trabalhar

Especial BR

A GSMA anunciou no MWC 2014 várias iniciativas para melhorar o alcance e a escala dos serviços móveis no Brasil, em benefício de seus cidadãos e empresas.

brasil-650

Paulo Bernardo, ministro das Comunicações do Brasil, e Anne Bouverot, diretora geral da GSMA, assinaram um acordo sob o qual a GSMA e o Governo brasileiro vão trabalhar juntos para acelerar a adoção da banda larga móvel e a entrega de novos serviços móveis no Brasil. Além disso, a GSMA e todas as operadoras de celular do Brasil – Algar Telecom, Claro, Nextel, Oi, Sercomtel, TIM Brasil e Vivo – anunciaram sua colaboração para oferecer aos usuários experiências móveis mais convenientes e seguras, por meio de um conjunto de iniciativas que abordam questões como spam por SMS, roubo de aparelhos e proteção à criança.

“Com aproximadamente 115 milhões de assinantes exclusivos e 277 milhões de conexões móveis, o Brasil é o maior mercado móvel na América Latina,” afirmou Anne Bouverot, diretora geral, GSMA. “Trabalhando em conjunto com o governo do Brasil e as operadoras móveis do país, continuaremos a expandir o alcance das redes e serviços móveis no Brasil, e a garantir que todos os clientes possam desfrutar dos benefícios de um ambiente mais confiável e protegido.”

A GSMA e o Ministério das Comunicações vão abordar uma série de áreas principais para acelerar a adoção de redes de banda larga móvel e serviços em todo o país. A GSMA vai oferecer sua experiência global e facilitar o diálogo em áreas como comunicações máquina a máquina (M2M), mHealth e mEducation, entre outras. Além disso, a GSMA vai trabalhar com operadoras para desenvolver soluções que facilitem o roaming internacional, com objetivo de tornar o serviço mais eficiente, transparente e fácil de usar.

O Ministério das Comunicações vai trabalhar para disseminar a implementação da banda larga móvel no Brasil, estabelecendo regras claras e justas para a atribuição de frequências de espectro. Além disso, o Ministério vai trabalhar com outros órgãos do governo para criar uma estrutura regulatória adequada ao desenvolvimento de novos serviços como mHealth, mMoney e M2M, com o objetivo de criar ecossistemas locais. Para levar esses projetos adiante, o Ministério irá estabelecer um Grupo de Trabalho de Governo, com a participação da GSMA.

Trabalhando com a GSMA , as operadoras móveis do Brasil vão implementar uma iniciativa multi-facetada de proteção ao cliente a em todo o país.

Com aproximadamente 268 milhões de dispositivos móveis ativos no Brasil, controlar o spam por SMS é um problema crescente. Para proteger os clientes de mensagens não solicitadas e identificar spammers no Brasil , as operadoras lançaram o Serviço de Relatórios de Spam da GSMA (GSMA’s Spam Reporting Service), onde os usuários podem enviar os textos para * SPAM (* 7726). As mensagens são então agregadas, analisadas ​​e incorporadas pelo sistema às “impressões digitais” do spam, proporcionando às operadoras detalhes importantes sobre origem, tamanho, intenção e padrão de crescimento das mensagens. O serviço permite que as operadoras móveis isolem ataques às suas redes e ajuda a prevenir que o ataque se espalhe para outra rede, restringindo, assim, a propagação do spam no Brasil.

“Todas as iniciativas que colaboram com a segurança do usuário e de toda a estrutura envolvida na prestação do serviço e que melhoram a experiência móvel do assinante sempre vão contar com o apoio da Sercomtel. Esta campanha é uma forma de as operadoras se engajarem nas ações de proteção à criança, no combate ao roubo de aparelhos e envio de spam de SMS”, afirma o presidente da Sercomtel, Christian Perillier Schneider.

“A tecnologia é capaz de mudar comportamentos e facilitar as vidas diárias das pessoas. Atualmente, todo brasileiro tem acesso aos serviços de telecomunicações e a Telefónica Vivo está orgulhosa de torná-la acessível para todas as classes sociais e nas regiões mais isoladas do país. É importante não perder de vista a necessidade de colaborar em oferecer alternativas para o uso seguro das informações e tecnologias de comunicação. Esta campanha aborda estes problemas, tem o nosso apoio e demonstra o desempenho das empresas socialmente responsáveis,” afirmou Antônio Carlos Valente, presidente do Grupo Telefônica no Brasil.

“Para a TIM, é essencial participar de um projeto como esse, que reforça a transparência do nosso negócio e fortalece nossa relação de confiança com o consumidor. Sabemos que o celular faz parte do dia-a-dia das pessoas e buscar soluções que tragam mais segurança e uma melhor experiência de uso, sem dúvida, destaca o compromisso das operadoras com seus usuários”, ressalta Rodrigo Abreu, presidente da TIM Brasil.

As operadoras móveis brasileiras se comprometeram a implementar os programas de proteção ao cliente dentro dos próximos seis meses. Tendo o Brasil como ponto de partida, a GSMA também trabalhará para desenvolver iniciativas semelhantes com seus membros em toda a América Latina.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor