Os phablets ganham terreno no MWC

MobilidadeNegócios

Durante esta edição do Mobile World Congress, os phablets (mistura de telefones com tablets) têm ganho cada vez mais visibilidade, pois não há fabricante que se preze que não tenha apresentado ao público pelo menos um smartphone com tela superior a cinco polegadas. Há uns anos, sentia-se vergonha ao levar ao ouvido um aparelho grande.

Especial BR

Durante esta edição do Mobile World Congress, os phablets (mistura de telefones com tablets) têm ganho cada vez mais visibilidade, pois não há fabricante que se preze que não tenha apresentado ao público pelo menos um smartphone com tela superior a cinco polegadas.

phablet

Há uns anos, sentia-se vergonha ao levar ao ouvido um aparelho grande. Quem não lembra do Nokia Ngage e a sucessão quase infinita de piadas relacionadas a segurar desajeitadamente o aparelho colado ao rosto para falar?

Uma sensação semelhante foi sentida no início da década de 1980. Contudo, durante esta edição do Mobile World Congress, parece que os phablets estão ganhando força e não existe fabricante que se preze que não tenha apresentado ao público o seu smartphone com tela enorme.

É o caso do Grand Memo II da ZTE, que a fabricante chinesa lançou nesta edição. O phablet chegas às seis polegadas de tela  e tem uma bateria de 3200 mAh. O que mais se destaca deste novo dispositivo móvel, de acordo com a ZTE, é o seu “preço ajustado”. A câmera do celular também foi melhorada em relação ao modelo anterior. Ele dispõe de 13 megapixels e conta com controles semi-profissionais, semelhantes à um SLR de entrada.

Outro dos dispositivos móveis de grandes dimensões apresentado no evento tecnológico foi o MediaPad X1, o phablet estrela da Huawei, que superou todos os outros ao incorporar uma tela de sete polegadas (17,78 centímetros na diagonal). Com um chassi reduzido, quase sem moldura, oferece tela de alta definição, 4G e  peso e espessura inferiores ao Nexus 7 e iPad Mini. O X1 custará cerca de 400  euros no território europeu, sem previsão oficial de venda no Brasil.

A sul-coreana LG não quis ficar atrás e apresentou o seu novo phablet G Pro 2. Com tela  de 5,9 polegadas, a última versão Android instalada, roda com um processador Qualcomm de quatro núcleos e possui câmera de 13 megapixels, que também grava em 4K.

A dúvida agora é como o mercado receberá uma quantidade tão grande de aparelhos de grandes dimensões, e o quanto esse novo nicho canibalizará o mercado de tablets. As chinesas Huawei, ZTE e Lenovo parecem não se importar, mas como os outros fabricantes reagirão?


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor