BM&FBovespa inaugura Data Center em São Paulo

CloudHOMENegócios

A BM&FBovespa apresentou ontem as instalações de seu novo Data Center, em Santana do Parnaíba, na zona metropolitana da capital paulista. O Data Center faz parte de um plano estratégico de investimentos da ordem de R$ 1,5 bilhão, que também inclui o PUMA, a nova plataforma de negociação já em plena operação; o IPN, a

A BM&FBovespa apresentou ontem as instalações de seu novo Data Center, em Santana do Parnaíba, na zona metropolitana da capital paulista.

data center BMFBovespa

O Data Center faz parte de um plano estratégico de investimentos da ordem de R$ 1,5 bilhão, que também inclui o PUMA, a nova plataforma de negociação já em plena operação; o IPN, a plataforma de pós-negociação que integrará todas as clearings da BM&FBovespa em apenas uma e o CORE, o inovador sistema de risco; e as novas soluções para o mercado de Balcão.

Com o seu novo empreendimento, a Bolsa reduzirá a complexidade de gerenciar cinco data centers para apenas dois, concentrando a sua capacidade de processamento no novo Data Center, e reservando um outro site para a contingência. O objetivo é garantir uma maior eficiência e elevar a robustez da infraestrutura da Bolsa. Além disso, a iniciativa trará soluções de qualidade para os clientes, tais como o serviço de co-location (DMA4) e a futura oferta de soluções de “colo” para os participantes de mercado.

O novo Data Center da BM&FBovespa é classificado como Tier 3 pelo Up Time Institute, principal órgão norte-americano de certificação. Isso significa que todas sua infraestrutura técnica é duplicada, como telecom, no breaks, entrada de energia elétrica por dois lados diferentes, geradores e ar condicionado. A construção possuirá também certificação ambiental Leadership in Energy and Environmental Design (LEED), com iniciativas como geradores e refrigeração de altíssima eficiência energética. Foi construída ainda uma estação de tratamento de esgoto, que já está em funcionamento.

Na primeira fase da montagem, será entregue toda a capacidade de infraestrutura, incluindo geradores, no breaks e ar condicionado. Em 2015, a meta é cobrir mais de 20% da capacidade para levar o sistema de negociação, com cerca de 400 servidores físicos e 100 equipamentos de rede, e ocupação de 50 terabytes de armazenamento de dados. Na segunda etapa, nos próximos anos, será migrado todo o ambiente de clearing que atualmente passa pelo programa de integração, com cerca de 350 servidores entre físicos e virtuais, 100 equipamentos de rede e um petabyte de dados armazenados em mais de 30% do espaço.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor