Fábrica de servidores da IBM enfrenta greve

Business IntelligenceData StorageEmpresasHOMENegócios

Cerca de mil trabalhadores da fábrica de servidores da IBM na China estão em greve há cinco dias, em protesto contra a venda da operação para a Lenovo. O objetivo dos funcionários é conseguir melhores salários ou benefícios sob a gestão da multinacional chinesa. Em comunicado, a Lenovo declarou que a questão salarial ainda não

Cerca de mil trabalhadores da fábrica de servidores da IBM na China estão em greve há cinco dias, em protesto contra a venda da operação para a Lenovo.

IBM china greve

O objetivo dos funcionários é conseguir melhores salários ou benefícios sob a gestão da multinacional chinesa.

Em comunicado, a Lenovo declarou que a questão salarial ainda não diz respeito à companhia, e que as operações ainda são de responsabilidade da IBM. Ainda assim, a Lenovo garantiu que manterá os salários e benefícios atuais, absorvendo toda a força de trabalho atual.

A Lenovo afirmou ainda que só assumirá o comando da divisão de de servidores da IBM quando o negócio for concluído. A empresa reiterou que a mão-de-obra foi um dos fatores de maior peso que motivou a aquisição da operação de servidores.

Apesar das garantias dadas pela Lenovo, os trabalhadores estão receosos quanto às indenizações trabalhistas, caso decidam deixar a empresa após a concretização do acordo.

A greve na IBM não constitui um evento inédito no território chinês. As manifestações de descontentamento por parte de trabalhadores são uma crescente tendência que tem vindo a emergir na China, numa altura em que a escassez de trabalho e os cortes nos salários e na força de trabalho se alinham com uma economia instável.

A IBM, como resposta ao movimento, já demitiu vinte dos trabalhadores manifestantes, sob acusações de desobediência, ausência sem permissão e formação de grupos internos durante o horário de trabalho.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor