Google anuncia sistema operacional para smartwatches [com vídeo]

EscritórioHOMEInovaçãoMobilidadeSistema OperacionalSoftwareVestíveis

A empresa apresentou o Android Wear, uma versão do sistema operacional móvel desenvolvida especialmente para dispositivos vestíveis, como relógios inteligentes. O sistema, derivado do Android, dá aos fabricantes a possibilidade de utilizar um sistema base no aparelho, além de fundamentar as especificações técnicas de entrada que todos os dispositivos deverão ter. Com o Android rodando

A empresa apresentou o Android Wear, uma versão do sistema operacional móvel desenvolvida especialmente para dispositivos vestíveis, como relógios inteligentes.

moto-360-3

O sistema, derivado do Android, dá aos fabricantes a possibilidade de utilizar um sistema base no aparelho, além de fundamentar as especificações técnicas de entrada que todos os dispositivos deverão ter.

Com o Android rodando em mais de três em cada quatro smartphones vendidos no mundo inteiro, o movimento do Google é natural. Os dispositivos, que em um primeiro momento podem ser relógios, mas não estão limitados a apenas um tipo de acessório, podem finalmente ganhar popularidade por causa das funções de conectividade mais interessantes aos usuários.

Segundo o Google, o Android Wear mostrará sugestões e informações importantes, como o Google Now ja faz. Ele também terá aplicativos, permitindo que o usuário receba notificações de rede sociais e apps de bate-papo.

O Android Wear responderá ao comando “Ok, Google”, que permite que o usuário fale com o relógio para fazer perguntas ou buscas e receba respostas ou sugestões de páginas. O funcionamento é parecido com o do smartphone Moto X, que sempre está atento aos comandos de voz do usuário.

O sistema Android Wear também oferece integração com outros dispositivos, como computadores e televisores inteligentes, por meio do acessório Chromecast.

LG e Motorola são algumas que lançarão os primeiros relógios com Android Wear no mercado, ainda em 2014. A tradicional marca Fossil desenvolverá uma nova linha de relógios em breve. Intel e Samsung também já se comprometeram a trabalhar em dispositivos com o sistema.

Com a iminência do lançamento de um relógio da Apple, o Google tem chance de sair na frente e dominar o mercado, assim como aconteceu com os smartphones. A dúvida que fica é se o consumidor está interessado em carregar no pulso uma segunda tela, sendo que basta retirar o celular do bolso para ter acesso às horas e outras informações.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor