Google Brasil forneceu dados de quase 1,5 mil usuários ao Governo

e-MarketingHOMESegurança

Em seu mais recente relatório sobre transparência, divulgado quinta-feira, 27 de março, apontou que autoridades brasileiras fizeram cerca de 1.085 solicitações de dados pessoais de usuários dos serviços do site de buscas apenas no segundo semestre de 2013. O relatório lista o número de solicitações de cada país, o número de contas de usuários correspondentes

Em seu mais recente relatório sobre transparência, divulgado quinta-feira, 27 de março, apontou que autoridades brasileiras fizeram cerca de 1.085 solicitações de dados pessoais de usuários dos serviços do site de buscas apenas no segundo semestre de 2013.

google neon

O relatório lista o número de solicitações de cada país, o número de contas de usuários correspondentes e o percentual de pedidos atendidos pelo Google. Como esperado, os EUA foram o país com mais pedidos desse tipo no segundo semestre.

As solicitações do governo dos EUA aumentaram 120% desde 2009, quando o Google começou a publicação do relatório. De julho a dezembro do ano passado, as autoridades americanas fizeram 10.574 pedidos de informações, de 18.254 contas de usuários. A França foi o segundo país com mais requisições, cerca de 2.750, referentes a 3.378 contas.

Além dos EUA e França, os países que mais vigiaram os usuários do Google no semestre são Alemanha, Índia, Reino Unido e Brasil. A Alemanha fez 2.660 pedidos de informação, de 3.255 contas; a Índia fez 2.513 pedidos ou informações sobre 4.401 contas; o Reino Unido fez 1.397 pedidos de informação sobre contas de 3.142; e o Brasil fez 1.085 solicitações, de 1.471 contas de usuários.

“Embora nós reconheçamos o quão importante é a transparência quando se trata de pedidos do governo, os eventos do ano passado revelaram o quanto a questão é urgente”, escreveu em um blogpost Richard Salgado, diretor da aplicação da lei e segurança da informação, segundo o The Guardian. E acrescentou: “Apesar do nosso número de usuários ter crescido ao longo do período, também estamos vendo mais e mais governos começarem a exercer sua autoridade para fazer solicitações”.

O Google, Facebook, Microsoft, Yahoo e outras empresas de internet têm pressionado o governo dos EUA para uma maior transparência, após as revelações feitas pelo ex-técnico da Agência Nacional de Segurança (NSA) dos EUA, Edward Snowden, que vazou documento sigilosos à imprensa.

Na semana passada, executivos de empresas de internet e tecnologia ouviram a proposta do presidente dos EUA, Barack Obama, para reformar dos programas de espionagem da Agência de Segurança Nacional.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor