Mercado de impressão brasileiro sofre retração de 9% no ano

EscritórioHOMEImpressorasNegócios

A IDC Brasil divulgou os dados consolidados do mercado de impressão no Brasil no quarto trimestre deste ano. Foram comercializados 8 mil equipamentos de impressão no País, 2.8% menos que na mesma base de comparação em relação a 2012. No consolidado do ano de 2013, o segmento movimentou 3.7 milhões de equipamentos de impressão no

A IDC Brasil divulgou os dados consolidados do mercado de impressão no Brasil no quarto trimestre deste ano. Foram comercializados 8 mil equipamentos de impressão no País, 2.8% menos que na mesma base de comparação em relação a 2012.

ink_jet_printer_-_opened

No consolidado do ano de 2013, o segmento movimentou 3.7 milhões de equipamentos de impressão no Brasil. Em números absolutos, houve retração de 9% de 2012 para 2013. A retração também foi sentida na receita: Em 2013, o setor movimentou aproximadamente US$1 bilhão no País, 13.6% a menos do que em 2012.

Na análise da IDC, existe uma diferença notável entre as tendências apresentadas nas categorias de produtos jato de tinta e laser. Mesmo dominantes, os equipamentos com tinta líquida estão em queda, enquanto os equipamentos com tinta sólida, sublimada ou fundida por laser, ganham mercado.

Pelo terceiro ano consecutivo, o volume de vendas das laser ultrapassou a marca de 1 milhão de equipamentos, com forte aceitação pelo mercado corporativo, que busca, além do hardware e dos suprimentos, serviços especializados de impressão, como administração de parque instalado e otimização de processos, que resultam em barateamento de custos de insumos.

Para frear a retração do mercado de jato de tinta, os fabricantes tem investido no desenvolvimento de suprimentos mais acessíveis, ao mesmo tempo que adicionam novos recursos aos equipamentos, como conectividade wi-fi. O movimento marca uma mudança significativa no paradigma do negócio, que antes se baseava em impressoras baratas e insumos de maior valor.

Como o mercado é muito sensível a custos, os suprimentos não originais acabaram, no decorrer dos anos, afetando os fabricantes, que tiveram que oferecer alternativas ao modelo de negócios vigente. Hoje, é possível encontrar impressoras que não utilizam cartuchos consumíveis, apenas a tinta precisa ser comprada.

Isso abriu a possibilidade do uso de jato de tinta por usuários corporativos de pequenas e médias empresas, com custo por página muito próximo ao das laser.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor