Totvs procura aliados para expandir

HOMENegóciosSoftware

A Totvs, empresa especializada no desenvolvimento de softwares de gestão empresarial, irá expandir sua rede de canais de distribuição em 2014.  O objetivo é especializar canais por segmentos específicos de indústria em regiões onde cada atividade econômica é mais representativa.  O movimento já acontece há algum tempo, e a empresa identificou que era necessário um reforço

A Totvs, empresa especializada no desenvolvimento de softwares de gestão empresarial, irá expandir sua rede de canais de distribuição em 2014.  O objetivo é especializar canais por segmentos específicos de indústria em regiões onde cada atividade econômica é mais representativa. 

Totvs recepção

O movimento já acontece há algum tempo, e a empresa identificou que era necessário um reforço na abrangência de atuação. A brasileira, então lançou um processo de busca de dez novos parceiros para preencher esses espaços ainda abertos.

O objetivo é encontrar aliados focados em clientes da área jurídica no Nordeste, serviços financeiros para PMEs no Centro-Oeste e agroindústria em mais de uma região. “Dependendo da especialidade da franquia e onde ela estiver, esse número pode flutuar. É possível delegar mais de uma especialidade para um mesmo canal, em regiões vizinhas”, declara Flávio Balestrin, diretor de marketing e canais da Totvs.

Um dos principais focos da estratégia da empresa neste ano deverá ser na comercialização de sistemas de ERP para PMEs, setor promissor na avaliação do CEO Laércio Cosentino. “Todo dia nasce e todo dia morre uma PME, é um mercado muito vibrante e pouco penetrado”, afirmou. Para avançar no setor, a empresa aposta em sua plataforma colaborativa denominada Fluig, que centraliza funções de ERP e reúne processos, documentos e identidades em uma interface colaborativa. De acordo com a Totvs, 100 empresas já utilizam o Fluig em seus sistemas.

A Totvs também definiu cloud computing como um dos seus pilares de atuação em um plano de metas da empresa para 2014. A empresa passa agora por um momento de adoção de comercialização de software também no modelo de SaaS (Software como Serviço), além do modelo tradicional de licenças. “O mercado ainda está disposto a ter softwares como o Capex, então nós estamos fazendo uma transição inteligente”, explicou Consentino.

O movimento é uma resposta direta à estratégia agressiva de multinacionais como SAP, Oracle e IBM para conquistar o mercado de PMEs.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor