Google admite análise de e-mails para publicidade

Negócios

O Google atualizou seus termos de serviço, informando os usuários que os e-mails que chegam e saem de sua caixa são automaticamente analisados por um software para criar anúncios específicos para eles. As revisões descrevem de forma mais explícita a maneira com a qual o software do Google faz uma varredura de e-mails, tanto aqueles

O Google atualizou seus termos de serviço, informando os usuários que os e-mails que chegam e saem de sua caixa são automaticamente analisados por um software para criar anúncios específicos para eles.

517863583_cv1

As revisões descrevem de forma mais explícita a maneira com a qual o software do Google faz uma varredura de e-mails, tanto aqueles armazenados nos servidores do Google como aqueles em trânsito, uma prática controversa que tem sido alvo de disputas judiciais.

No mês passado, um juiz norte-americano decidiu não combinar diversos processos que acusavam o Google de violação de direitos de privacidade de centenas de milhões de e-mails de usuários em uma única ação coletiva.

Usuários do Gmail acusaram a companhia de violação de privacidade e de ignorar leis federais e estaduais ao analisar suas mensagens para finalidades publicitárias. O Google argumentou que os usuários implicitamente consentiram com essa prática, reconhecendo que esta era parte do processo de entrega de e-mails.

O porta-voz do Google Matt Kallman disse em comunicado que as mudanças “darão às pessoas uma clareza maior e são baseadas no retorno que recebemos nos últimos meses”.

Os novos termos de serviço do Google acrescentam um parágrafo afirmando que “nossos sistemas automatizados analisam seu conteúdo (incluindo e-mails) para oferecer a você ferramentas relevantes, como resultados de buscas personalizados, anúncios direcionados, e detecção de spam e malware. Essa análise ocorre enquanto o conteúdo é enviado, recebido e quando é armazenado”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor