Google+ enfrenta forte crise e pode sofrer cortes

e-MarketingHOMERedes Sociais

O esforço do Google em fazer do Google+, seu serviço de rede social, mais relevante sofreu um forte revés na última semana, com a perda de seu principal chefe, Vic Gundotra. Gundotra, que teve papel fundamental na criação da rede social, anunciou sua saída pelo próprio Google+, sem mencionar os motivos. Com um enorme investimento,

O esforço do Google em fazer do Google+, seu serviço de rede social, mais relevante sofreu um forte revés na última semana, com a perda de seu principal chefe, Vic Gundotra.

googleplus2

Gundotra, que teve papel fundamental na criação da rede social, anunciou sua saída pelo próprio Google+, sem mencionar os motivos.

Com um enorme investimento, o Google+ foi pensado para ser uma resposta de peso contra o Facebook e o Twitter. Com integração total (e obrigatória) com Gmail e YouTube, o Google esperava que a gigantesca base de usuários aderisse ao serviço rapidamente, mas isso nunca aconteceu.

Em 2013, mais de quarenta recursos foram introduzidos no serviço, da publicação de gifs animados à personalização de URL de perfis, mas nem assim a rede decolou.

A última decisão do Google foi vincular a publicação no Google+ à relevância dos resultados de busca. Sem a publicação no serviço, por exemplo, um conteúdo, como uma notícia ou post de blog, seria menos rankeado para aparecer no topo das pesquisas, logo após os links patrocinados.

Mesmo assim, a resposta dos usuários ficou aquém do esperado. E não se sabe se foi esse o motivo da saída de Gundotra (o Google não comentou a questão), mas o fato é que esse pode ter sido o primeiro prego no caixão da rede social como é hoje.

Segundo rumores levantados pelo site TechCrunch, a saída de Vic Gundotra poderia catalisar uma mudança radical no Google+. Entre 1.000 e 1.200 pessoas que trabalhavam na divisão foram realocadas dentro do Google. A equipe que trabalhava com o Hangouts deve ir para o núcleo do Android. O mesmo aconteceria com os desenvolvedores de ferramentas relacionadas a fotos do Google+.

O próximo passo do Google, ainda segundo o TechCrunch, seria transformar o serviço em uma plataforma, ao invés de um produto. Ele continuaria existindo, mas sem o foco de competição tentado até então.

Caso se confirmem os rumores, o Google+ se transformaria em um dos maiores fracassos do Google. Resta esperar a confirmação oficial do Google, que até o momento não fez nenhum comunicado além da saída de Gundotra.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor