Apenas 20% das empresas brasileiras utilizam apps específicos

ComponentesEmpresasEscritórioNegócios

A Qualcomm apresentou a segunda fase do Índice da Sociedade da Inovação da Qualcomm (QuISI), com foco nas empresas e Internet das Coisas (IoE). O estudo, realizado pela consultoria Convergência Research, mapeou o estágio atual do uso de TICs pelas empresas e qual é a representatividade desse uso dentro da economia digital. Foram avaliados 72

A Qualcomm apresentou a segunda fase do Índice da Sociedade da Inovação da Qualcomm (QuISI), com foco nas empresas e Internet das Coisas (IoE).

O estudo, realizado pela consultoria Convergência Research, mapeou o estágio atual do uso de TICs pelas empresas e qual é a representatividade desse uso dentro da economia digital. Foram avaliados 72 países, incluindo o Brasil.

Rafael Steinhauser, vice-presidente sênior e presidente da Qualcomm na América Latina, apontou, durante o evento de apresentação do estudo, que apenas 20% das empresas utilizam aplicativos específicos.

Segundo Steinhauser, há um atraso no sentido do que oferece o mundo conectado, e isso limita a inovação das empresas. Ele citou, por exemplo, o uso da internet pelas empresas brasileiras como um claro sinal de que há muito a ser feito. Para o executivo, o uso ainda é primitivo e existe um potencial de crescimento enorme.

“O Brasil é um dos países que mais aceitam as redes sociais, mas a empresas não se valem desde potencial” disse Steinhauser. “As empresas não sabe como usar as redes sociais, a capacidade de interação e engajamento do público. É preciso que as empresas acordem para essa realidade”, concluiu.

Dos 100 pontos possíveis atribuídos pelo estudo, o Brasil obteve 30,30 no QuISI Empresas. Cerca de 98% das empresas com mais de 10 funcionários estão conectadas, mas apenas 83% das de menor porte estão na web.

64% dos funcionários das empresas conectadas usam a Internet regularmente. Surpreendentemente, apenas 21% dos funcionários usam o smartphone como ferramenta de trabalho, um claro indicativo que a política do BYOD (bring your own device, ou traga seu próprio aparelho) ainda engatinha em território nacional. O número de tablets é ainda menor: apenas 4% da força de trabalho usa um tablet conectado como ferramenta profissional.

Outro ponto digno de nota é a aceitação das transações financeiras econômicas. Mesmo sendo um dos líderes em tecnologia bancária e financeira, o Brasil tem apenas 34% das empresas conectadas usando a Internet para transações.

O grau de informatização do governo também tem espaço para crescer. 69% das empresas conectadas realizam transações governamentais pela Internet, nas três esferas de poder – Governo Federal, Governo Estadual e Prefeituras.

qualcomm


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor