Mercado brasileiro de software e serviços movimenta R$ 26 bi

HOMENegóciosSoftware

Levantamento encomendado à IDC pela Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes) revelou que a indústria brasileira de software e serviços movimentou US$ 25,9 bilhões no ano passado, o que coloca o país como o oitavo maior mercado no mundo. Segundo o apurado, o segmento de apps manteve a liderança de vendas com participação de

Levantamento encomendado à IDC pela Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes) revelou que a indústria brasileira de software e serviços movimentou US$ 25,9 bilhões no ano passado, o que coloca o país como o oitavo maior mercado no mundo.

BI

Segundo o apurado, o segmento de apps manteve a liderança de vendas com participação de 43,5% dos softwares desenvolvidos, enquanto os ambientes de desenvolvimento representaram 31,5%, infraestrutura 23,1% e software para exportação 1,9%.

Considerando o mercado brasileiro de TI, foram movimentados US$ 61,6 bilhões no ano passado, um avanço de 15,4% na comparação com 2012, mais de três vezes a média global, que foi de 4,8%. Hardware respondeu por US$ 36,5 bilhões, serviços por US$ 14,4 bilhões e software, US$ 10,7 bilhões.

Isso representa 3% do mercado global (US$ 2,05 trilhões), e coloca o Brasil em 7º lugar entre os países que mais gastam com tecnologia. Na frente estão Estados Unidos, Japão, China, Reino Unido, Alemanha e França.

Na América Latina, o país representa 47,4% dos gastos. Espera-se que o gasto para o próximo ano ultrapasse o da França.

Hoje, o Brasil possui 11,2 mil empresas de software e serviços, cerca de 500 a mais que em 2012. O setor de software representa 97,4% do total de empresas, sendo que 86% são pequenas e médias empresas (PMEs).

Para a Abes, apesar da importância para a econômica do país, o setor tem um ambiente de negócios muito complicado, com uma estrutura muito onerosa. Pensando nisso, a entidade, junto com outras associações que formam a Frente Nacional das Entidades de Tecnologia da Informação (FNTI), pretende convidar, nas próximas semanas, os candidatos à presidência da República para discutir e apresentar propostas para o setor.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor