Schneider Electric fornece tecnologias inteligentes para túneis do Rodoanel

Software

A Schneider Electric, especialista global em gestão de energia, com soluções de engenharia avançada para o controle de trafego urbano e interurbano, forneceu soluções e tecnologias de segurança e eficiência energética para as duas vias do túnel Santa Luzia, localizado no trecho Leste do Rodoanel Mário Covas. Os dois trechos do túnel Santa Luzia, construído

A Schneider Electric, especialista global em gestão de energia, com soluções de engenharia avançada para o controle de trafego urbano e interurbano, forneceu soluções e tecnologias de segurança e eficiência energética para as duas vias do túnel Santa Luzia, localizado no trecho Leste do Rodoanel Mário Covas.

tunel rodoanel

Os dois trechos do túnel Santa Luzia, construído em 14 meses, têm duas pistas de 1.080 metros de comprimento cada e três faixas de rolagem, além do acostamento. A automação do túnel conta com 90% de tecnologia Schneider Electric, sendo considerado inteligente por integrar sistemas de automação para diversas funcionalidades e por otimizar o monitoramento humano na via.

A Schneider Electric tem experiência em tornar túneis inteligentes. No Brasil, a companhia automatizou 15 túneis entre rodoviários e urbanos das regiões sul e sudeste do país. “Temos soluções completas que vão desde o projeto executivo até o fornecimento de subestações, de data centers e da automação elétrica e eletrônica de todo o túnel. Fornecemos soluções de engenharia avançada para o controle de tráfego urbano e interurbano de forma segura e eficiente”, destaca Jesús Carmona, vice presidente da Schneider Electric.

Em ambos os lados do túnel há 32 câmeras de segurança distribuídas em toda sua extensão e que garantem 100% de cobertura proporcionando mais agilidade no atendimento de incidentes, evitando a interrupção do fluxo de veículos. Por exemplo, se um veículo parar em uma das pistas, automaticamente as câmeras irão captar as imagens e o sistema identificará a ocorrência, analisando e mostrando aos outros motoristas o fechamento da faixa por meio de sinalizadores luminosos. Em tempo real, o sistema enviará uma mensagem à central de monitoramento, solicitando auxílio ao veículo parado.

Outra novidade são sensores espalhados por toda extensão do túnel que garantem um ambiente seguro aos motoristas. A tecnologia monitora a qualidade do ar do local e medição do nível de CO2, que se elevado, permite que os jatos ventiladores sejam ligados de maneira instantânea, diminuindo a concentração do gás no túnel. Se houver algum tipo de emergência, 36 botoeiras SOS foram distribuídas pelo local, que ainda conta com 218 sonofletores (cornetas acústicas) para comunicação de emergência com os usuários.

Além dos sistemas de detecção automática de incidentes, sistemas de controle e sensoriamento ambiental e sistema de ventilação, a companhia também forneceu tecnologia de comunicação de dados, de contagem de carros e de iluminação. Foram também instaladas duas subestações modulares (eletrocentros) na entrada dos dois trechos do túnel, com nobreaks, quadros de tensão e transformadores que garantem o funcionamento de todo o sistema em caso de falta de energia. Os eletrocentros são tendência no mercado de subestações pela flexibilidade, eficiência e menor custo. A solução pode reduzir o consumo de energia, necessário para a operação da subestação, em no mínimo 30%. Os eletrocentros modulares podem ser entregues em até metade do tempo a um custo de implantação 10% menor que os tradicionais.

O Rodoanel Mario Covas tem seis túneis e todos eles foram automatizados com sistema de supervisão SCADA da Schneider Electric. O Trecho Leste tem 43,5 km de extensão e será a principal via de ligação entre o maior porto do Brasil, o de Santos, ao maior aeroporto do país, o Internacional de Guarulhos e todo o investimento, orçado em R$3,2 bilhões, é de responsabilidade exclusiva da iniciativa privada.