Apple de malas feitas se junta à lista negra da China

Negócios

O governo chinês continua determinado a exorcizar toda a tecnologia estrangeira do país, depois de ter colocado a Apple na sua cada vez maior lista de empresas que foram excluídas da sua tabela de fornecedores. Oficiais chineses vão, assim, ficar impedidos de comprar iPads e portáteis MacBook da Apple para projetos govenamentais que recorram a

O governo chinês continua determinado a exorcizar toda a tecnologia estrangeira do país, depois de ter colocado a Apple na sua cada vez maior lista de empresas que foram excluídas da sua tabela de fornecedores.

china apple

Oficiais chineses vão, assim, ficar impedidos de comprar iPads e portáteis MacBook da Apple para projetos govenamentais que recorram a capital público.

Ao que parece, nos últimos tempos a China tem incessantemente evocado a sua colossal – e repetitiva – preocupação pela segurança do país para justificar toda e qualquer alienação de empresas estrangeiras, uma estratégia que demonstra uma evidente “discriminação de mercado” que o governo chinês tem vindo a aplicar.

Mark Po, analista na UOB Kay Hian, afirmou que a China está construindo muralhas comerciais para que as empresas externas não adquiram muito poder no território.

Relativamente aos seus mais recentes resultados, a Apple ficou surpreendida por registrar um aumento de 28 por cento nas receitas provenientes da China, depois de em julho a tecnológica comandada por Tim Cook se ter visto obrigada a combater fortemente acusações da emissora estatal chinesa CCTV, que dissera que os smartphones da Apple, devido às suas funcionalidades de localização, eram um risco para a segurança nacional.

Na semana passada, oficiais da Administração Estatal para a Indústria e o Comércio investigaram quatro escritórios da Microsoft na China, rusga esta na qual foram apreendidos e duplicados documentos, maioritariamente relatórios financeiros. Neste caso, a China alegara que a tecnológica havia incorrido em infrações das leis antitrust do país.

O Centro Governamental de Aquisições da China proibira também a utilização do sistema operativo Windows 8 em computadores governamentais, uma medida, segundo Pequim, que visa assegurar a confidencialidade das informações chinesas.

É inegável que a China tem demonstrado uma certa aversão às empresas ocidentais, o que poderá ser – parcialmente – explicado pelo deteriorar das relações sino-americanas, depois de Washington ter publicamente acusado cinco oficiais chineses de terem roubado segredos comerciais de empresas estadunidenses onde haviam conseguido se infiltrar..


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor