Conseguirão os beepers sobreviver nesta era tecnológica?

MobilidadeNegócios

Todos nós nos recordamos (uns com mais carinho do que outros) dos beepers, aqueles aparelhitos que hoje, no meio de tantos dispositivos “inteligentes, parecem fazer parte das páginas empoeiradas da História. Será que se tornaram obsoletos? Uma startup californiana decidiu desenterrar estes pequenos tesouros e angariou cerca de seis milhões de dólares para o conseguir. A

Todos nós nos recordamos (uns com mais carinho do que outros) dos beepers, aqueles aparelhitos que hoje, no meio de tantos dispositivos “inteligentes, parecem fazer parte das páginas empoeiradas da História. Será que se tornaram obsoletos? Uma startup californiana decidiu desenterrar estes pequenos tesouros e angariou cerca de seis milhões de dólares para o conseguir.

OnBeep

A OnBeeper planeja conceber um aparelho que visa manter o contacto permanente entre elementos de um dado grupo ou organização (família, empresa, etc), sem que seja necessário recorrer aos smartphones.

A ronda de investimentos foi liderada pelo investidor Rich Levandov, da Avalon Ventures, que afirmou que existe uma infinidade de aplicativo móveis de mensagens, mas que nenhuma entre elas permite que as pessoas se possam manter em contacto umas com as outras sem terem que recorrer constantemente ao smartphone. “Nós  [Avalon Ventures] apoiámos a OnBeep, pois acreditamos que eles irão alterar seriamente a forma como o mundo comunica”, acrescentou Levandov.

A OnBeep foi fundada por três pessoas que tratam por “tu” o mundo digital e as tecnologias – Roger Wood da Nextel, Greg Albrecht da Splunk e Jesse Robbins da Amazon.

Na nova empresa, contudo, Wood ocupa o cargo de diretor de produção, Robbins se senta na cadeira de CEO e Albrecht ocupa as funções de CTO.

Robbins disse que o que intentam desenvolver é um aparelho que mantenha as pessoas (de um certo grupo) em constante contacto sem que tenham de estar sempre a deitar mão ao smartphone, apesar de o diretor executivo afirmar, sem avançar mais quaisquer detalhes, que o beeper terá de ser conectado a um destes dispositivos “inteligentes”.

Podemos, no entanto, esperar que o aparelho a ser desenvolvido pela OnBeep seja um híbrido resultante do casamento das forças destas antiguidades tecnológicas que são os beepers com as características vanguardistas dos dispositivos wearable.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor