Diebold e Wincor Nixdorf formam aliança para combater crimes em caixas eletrônicos

HOMESegurança

O aumento da sofisticação dos crimes contra caixas eletrônicos motivou a união de esforços da Diebold e da Wincor Nixdorf, dois dos maiores fabricantes de ATMs do mundo. As empresas fundarão uma associação do setor para melhorar a segurança dos ATMs. Por meio dessa associação, as empresas pretendem coletar informações sobre cenários potenciais e reconhecidos

O aumento da sofisticação dos crimes contra caixas eletrônicos motivou a união de esforços da Diebold e da Wincor Nixdorf, dois dos maiores fabricantes de ATMs do mundo. As empresas fundarão uma associação do setor para melhorar a segurança dos ATMs.

atm diebold

Por meio dessa associação, as empresas pretendem coletar informações sobre cenários potenciais e reconhecidos de ataque a caixas eletrônicos e compartilhá-las com grupos específicos do setor para rapidamente desenvolver e implementar contramedidas globalmente. A participação está aberta a operadores institucionais – principalmente bancos e provedores de serviços de TI –, fabricantes globais de caixas de autoatendimento e seus fornecedores.

“A fraude em caixas eletrônicos é um desafio mundial e, com a expectativa de expansão do mercado e dos crimes relacionados à ATMs, chegou o momento de as organizações cujas operações comerciais dependem desses equipamentos tomarem medidas conjuntas em todo o mundo. São elas que estão em melhor condição de estabelecer um ‘fórum de transmissão’ para proteger os caixas eletrônicos, já que ninguém mais pode responder de forma tão rápida ou direta quando se trata de implementar as contramedidas certas”, observou Eckard Heidloff, CEO da Wincor Nixdorf AG.

O mercado de ATMs deve continuar se expandindo. De acordo com uma projeção feita pela empresa global de pesquisa setorial Retail Banking Research (RBR), o número de sistemas de caixas eletrônicos aumentará em todo o mundo para 3,7 milhões até 2018, em comparação ao número atual de cerca de 2,6 milhões. Considerando essas estimativas, é plausível esperar que o nível de atividade criminosa relacionada a caixas eletrônicos também irá crescer.

Outros fabricantes mundiais de ATMs estão especialmente convidados a participar do grupo, já que isso aumentará o escopo e a efetividade do trabalho. A associação também pretende estabelecer regras para todo o setor na forma de normas técnicas acordadas para proteger os caixas eletrônicos e seus componentes. A associação será implementada nos termos da lei da Holanda e oferecerá a seus membros um registro protegido e garantido de informações detalhadas sobre cenários de ataque reconhecidos e possíveis ameaças, juntamente com recomendações do setor sobre como os membros podem prevenir e lidar com quaisquer desses ataques.

“Considerando o grande progresso do setor, com avanços nas diversas tecnologias que os clientes valorizam em um caixa eletrônico, chegou a hora de combatermos, em conjunto e de forma efetiva, o impacto que o crime organizado mundial, munido de sofisticada tecnologia, vem apresentando sobre o setor de caixas eletrônicos”, disse Andy W. Mattes, presidente e CEO da Diebold. “Esse anúncio representa o primeiro passo em um esforço de todo o setor para ajudar a garantir que os caixas eletrônicos continuem sendo uma opção segura para os clientes realizarem qualquer transação financeira que desejem de forma confidencial – tanto agora como no futuro”.

As organizações interessadas em participar ou que desejem obter informações a respeito da associação do setor de segurança de caixas eletrônicos (ATMs), podem entrar em contato diretamente com a entidade.