LG estende tentáculos à China com o G3

Negócios

A LG Electronics vai na próxima segunda-feira, começar a vender o seu mais recente smartphone, o G3, na China, um mercado onde tem batalhado para conquistar um lugar e que tem, nos últimos tempos, vindo a tornar-se, exceto para a ubíqua Apple, num dos mais hostis para os fabricantes de smartphones high-end. Procurando retirar o

A LG Electronics vai na próxima segunda-feira, começar a vender o seu mais recente smartphone, o G3, na China, um mercado onde tem batalhado para conquistar um lugar e que tem, nos últimos tempos, vindo a tornar-se, exceto para a ubíqua Apple, num dos mais hostis para os fabricantes de smartphones high-end.

lg

Procurando retirar o máximo partido da significantemente positiva resposta com que foi recebido o G3, a LG afirmou hoje que vai recorrer ao website de varejo digital JD.com para introduzir o seu smartphone na esfera chinesa sob o preço de 650 dólares.

Embora seja um valor mais reduzido que os 869 dólares sob o qual se estreou na Coreia do Sul o G3, não deixa de ser mais do dobro dos preços dos smartphones low-cost ricos em aplicações lançados pelas suas rivais locais lideradas pela Xiaomi, que na China conseguiu tirar o tapete debaixo dos pés de uma titã como a Samsung Electronics.

De acordo com a IDC, a LG, no segundo trimestre, ocupou confortavelmente o quinto lugar no ranking das vendas globais de smartphones, mas na China não conseguiu sequer chegar no Top 10.

Numa fase inicial, a empresa sediada na região de Yeouido-dong, em Seul, poderá ter de suar sangue para conquistar uma quota num mercado tão severo, visto que não contará com a alavancagem de nenhuma operadora local, ao passo que Apple conta desde de dezembro com uma parceria de distribuição com a maior operadora do mundo China Mobile.

Contudo, uma porta-voz da LG explicou que a empresa optou por não se envolver com nenhuma operadora e se cingir unicamente ao JD.com, para mitigar despesas de distribuição, sublinhando que outros vendedores, que não operadoras, são responsáveis por mais de metade das vendas de smartphones na China.

O analista Tom Kang, da consultora Counterpoint, projetou que a tela do novo dispositivo da LG, dotado de uma qualidade quase duas vezes superior à do Samsung Galaxy S5, fará refém as atenções dos consumidores chineses, não obstante, evidentemente, os obstáculos que enfrentará por não ter do seu lado o apoio de nenhuma operadora local.

O ramo de telemóveis da LG no segundo trimestre conseguiu gerar lucro, ao fim de um ano de rentabilidade apática, com uma remessa inédita de 14,5 milhões de unidades.

A empresa confia que o G3 instigará ainda mais o crescimento das receitas, fazendo, desta forma, com que deite mão a uma mais distinguida posição no mercado chinês de smartphones, o maior de todo o mundo.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor