Lucro da Capgemini tem crescimento de 36% no 1º semestre de 2014

EmpresasHOMENegócios

O Grupo Capgemini, um dos principais provedores globais de serviços de consultoria, tecnologia e terceirização, registrou uma receita consolidada de €5,104 milhões no 1º semestre de 2014, 1,4% acima da receita do 1º semestre de 2013, com base na estrutura atual do Grupo e taxas de câmbio, e 2,6% maior se usarmos as mesmas bases

O Grupo Capgemini, um dos principais provedores globais de serviços de consultoria, tecnologia e terceirização, registrou uma receita consolidada de €5,104 milhões no 1º semestre de 2014, 1,4% acima da receita do 1º semestre de 2013, com base na estrutura atual do Grupo e taxas de câmbio, e 2,6% maior se usarmos as mesmas bases de comparação e taxas de câmbio constantes.

capgemini3

No 2º trimestre, a receita cresceu 3,0% contra os 2,3% registrados no 1º trimestre. A margem operacional atingiu 7,9% no 1º semestre, 0,6 ponto acima da margem registrada no mesmo período de 2013.

O lucro atribuído aos acionistas no 1º semestre cresceu 36%, para €240 milhões, comparado a €176 milhões registrados no mesmo período de 2013. O Grupo está executando com sucesso suas prioridades estratégicas: inovação, adoção da nuvem e uso de novas tecnologias, e competitividade, com o aperfeiçoamento de suas plataformas globais e a industrialização da produção.

A margem operacional é um dos principais indicadores de desempenho do Grupo. É definida como a diferença entre a receita e os custos operacionais. É calculada antes da amortização dos ativos intangíveis reconhecidos em combinações de empresas, despesas associadas a ações ou opções alocadas aos funcionários, receitas e despesas não recorrentes como impairment de goodwill, ganhos ou perdas de capital sobre alienações, custos de reestruturação, de aquisição e integração de empresas adquiridas, bem como impactos relacionados à redução e/ou liquidação de planos de previdência com benefícios definidos.

Por negócio, a divisão de Serviços de Consultoria (4% da receita do Grupo) registrou contração de 4,7%. A divisão de Serviços Profissionais Locais – Sogeti (responsável por 15% da receita do Grupo) cresceu moderadamente, 0,6% (+1,1% no 2º trimestre). Já a divisão de Serviços de Aplicações (56% da receita do Grupo) subiu 2,2% no 1º semestre (2,5% no 2º trimestre), suportada pelo crescimento de Social, Mobile, Analytics e Cloud (SMAC) e manutenção de aplicações. A divisão de Outros Serviços Gerenciados (24% da receita do grupo) mostrou a maior elevação, com 6,5% no 1º semestre (7,2% no 2º trimestre), impulsionada pelo crescimento de BPO e Serviços de Infraestrutura.

Por região, os países emergentes da Ásia-Pacífico e da América Latina registraram um forte crescimento (9,1%). As atividades permanecem fortes na América do Norte, com crescimento de 6,1% da receita no 1º semestre (7,9% no 2º trimestre). Com elevação de 3,3% na receita, o Reino Unido e a Irlanda estão demonstrando o dinamismo do setor comercial. As atividades na França continuaram expandindo, registrando crescimento de 1,5% no 1º semestre (1,9% no 2º trimestre), apesar do ambiente desacelerado. A região da Benelux mostrou uma retração de 2,1% na receita no 1º semestre, com queda limitada a 1,2% no 2º trimestre, e prevê uma atividade estável no segundo semestre. O registro nas demais regiões da Europa foi estável (-0,1%), com um ambiente desafiador na Espanha.

As vendas totalizaram €5,653 milhões no 1º semestre de 2014, representando um crescimento de 20% em relação ao mesmo período de 2013, e uma proporção de 1,11 de vendas sobre faturamento.

O forte desempenho do Grupo no 1º semestre reflete alinhamento com a diretriz anual da Capgemini, e confirma sua meta para 2014 de crescimento da receita orgânica de 2% para 4% e da margem operacional entre 8,8% e 9,0%. O Grupo estima que o fluxo de caixa livre orgânico excederá €500 milhões.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor