Neurotech lança plataforma móvel de análise de crédito

EmpresasMobilidadeNegóciosSoftware

Permitindo consultas prévias e rápidas às bases de dados internas e externas, o próprio vendedor informa ao cliente a disponibilidade do crédito. Varejistas como Lojas Obino e Di Santinni já estão utilizando a plataforma que apoia o incremento das vendas e ajuda a reduzir incumprimentos A primeira plataforma móvel para análise de crédito do mercado brasileiro

Permitindo consultas prévias e rápidas às bases de dados internas e externas, o próprio vendedor informa ao cliente a disponibilidade do crédito. Varejistas como Lojas Obino e Di Santinni já estão utilizando a plataforma que apoia o incremento das vendas e ajuda a reduzir incumprimentos

roubo de cartão de crédito

A primeira plataforma móvel para análise de crédito do mercado brasileiro é a novidade que a Neurotech está colocando a disposição das empresas do varejo. Com ela, a consulta sobre a condição de crédito pode ser informada em poucos segundos, reduzindo o constrangimento do consumidor e evitando que perca muito tempo aguardando a resposta (liberação ou recusa) do financiamento no momento da compra de um bem.

“Este tipo de ferramenta é crucial para o varejo que necessita avaliar o risco na hora de financiar uma venda, mas, sobretudo, é um instrumento que pode ajudar o próprio consumidor a assumir compromissos financeiros com maior responsabilidade”, afirma Marcelo Aragona, diretor Comercial da Neurotech empresa que oferece soluções para apoio à decisão de crédito, risco e prevenção de fraudes do mercado nacional.

A plataforma denominada P1 (Pré – Análise) já começou a ser utilizada por várias empresas do setor varejista, entre elas a calçadista Di Santinni e o magazine Lojas Obino. Com o uso da ferramenta, ambas, além de melhorar a experiência de compra do consumidor, conseguiram aumentar o número de propostas de concessão de crédito utilizando regras que reduziram os riscos.

Velocidade nas vendas

Na Di Santinni, a captação aumentou em mais de 50%, já nas Lojas Obino a expectativa é que a concessão de crédito aumente em 40%, uma vez que o tempo de preenchimento da pré-consulta na plataforma dificilmente ultrapassa dois minutos.

A plataforma móvel permite que, por meio de um tablet ou smartphone, os próprios vendedores realizem rapidamente consultas prévias a informações internas, fontes externas públicas e privadas como Receita Federal, Serasa e Boa Vista. Com a necessidade de poucos dados de entrada (até seis campos), reduz o tempo e aumenta a capacidade de análise de propostas de crédito pelo varejista.

Na rede Di Santinni, com 120 lojas em todo o país, a utilização do tablet pelos vendedores trouxe muita agilidade segundo explica Anna Moreira, Gerente de Risco e Planejamento Estratégico da DSCard, empresa do mesmo grupo e que administra o cartão usado pela loja de calçados.  “O funcionário realiza consultas e, no caso de aprovação, os dados do cliente já são capturados para preenchimento da proposta completa para efeito de cadastro e enviados para formalização. Em paralelo a informação da consulta fica disponível para a Central de Análise de Crédito e, quando a proposta é direcionada, já está apta para a análise. O cliente pode realizar a compra na hora”, ressalta.

Antes da utilização da plataforma móvel para análise de crédito existia uma equipe especificamente direcionada para a captação de novos clientes, produtos financeiros e atendimento. Hoje, além dos calçados, os vendedores da Di Santinni captam novos clientes também para o Cartão e Produtos Financeiros da DSCard.

Já nas Lojas  Obino, composta por uma rede de 46 unidades, operando em 35 municípios, “o desafio inicial é reduzir a inadimplência que em 2013 foi de 8%, aplicando regras mais eficazes para minimizar riscos”, segundo Leonardo Nocchi Macedo, gerente administrativo financeiro.  Porém, a empresa espera também incrementar os negócios com o aumento da concessão de crédito e com a agilidade e eficiência na resposta às propostas de crédito. “Antes, todo nosso processo estava centralizado na matriz e dependia de uma avaliação pré-determinada de analistas, tornando tudo muito moroso”. Ao adotar a tecnologia da Neurotech dentro do modelo de computação na nuvem, a empresa também reduziu investimentos com implantação e manutenção de infraestrutura.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor