Conferência Internacional sobre e-governance em Portugal

ProjetosSetor Público

Entre 27 e 30 de outubro próximo, a cidade portuguesa de Guimarães vai receber a oitava edição das International Conferences on Theory and Practice of Electronic Governance (ICEGOV), cujo objetivo é encontrar soluções para a administração pública eletrônica. A organização é da Universidade do Minho, da Agência para a Modernização Administrativa e da Universidade das Nações Unidas. Desde

Entre 27 e 30 de outubro próximo, a cidade portuguesa de Guimarães vai receber a oitava edição das International Conferences on Theory and Practice of Electronic Governance (ICEGOV), cujo objetivo é encontrar soluções para a administração pública eletrônica. A organização é da Universidade do Minho, da Agência para a Modernização Administrativa e da Universidade das Nações Unidas.

CasteloGuimaraes

Desde 2007, quando se realizou a primeira conferência em Macau, que anualmente se debate o uso da tecnologia para transformar a relação entre os governos e os cidadãos, as empresas e a sociedade civil. Representantes de organismos públicos nacionais e internacionais, das Nações Unidas, empresários, académicos e peritos de referência estarão presentes.

O evento tem ganho impacto a nível internacional, atraindo participantes de mais de 50 nacionalidades, sempre com grande incidência nos países em desenvolvimento, interessados em formas de canalizar seus investimentos em tecnologia para benefícios sociais e econômicos. Inclusive, conta com a Universidade das Nações Unidas como fundador, exatamente pelo foco que esta organização tem no desenvolvimento de seus membros.

As temáticas a abordar esse ano serão: data, descentralização, ética, inovação, sustentabilidade e liderança. Os trabalhos na conferência vão da teoria à prática pois neles se incluem debates, onde se aborda a investigação, mas também workshops e produção de conteúdos que apresentam soluções no contexto da governação eletrônica.

Até 22 de outubro pode efectuar a inscrição no site do evento mas se o fizer antes de 15 de setembro tem um desconto no valor a pagar. A organização costuma ainda atribuir bolsas de estudo aos autores de trabalhos aceites no programa mas esse período já terminou a 15 de agosto. Os preços variam entre 200 euros para estudantes e funcionários do governo português e 400 a 450 euros para os restantes participantes.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor