Metade das empresas brasileiras se consideram pioneiras no uso de novas tecnologias

EmpresasHOMENegócios

Cerca de 49% dos decisores de TI de empresas brasileiras se considera ‘early adopter’, ou seja, pioneiro na implementação de novas tecnologias. Esta foi uma das conclusões do estudo Future Ready IT (IT Preparada para o Futuro), encomendado pela Dell para a consultoria Penn Schoen Berland e que, de 28 de Julho a 9 de

Cerca de 49% dos decisores de TI de empresas brasileiras se considera ‘early adopter’, ou seja, pioneiro na implementação de novas tecnologias. Esta foi uma das conclusões do estudo Future Ready IT (IT Preparada para o Futuro), encomendado pela Dell para a consultoria Penn Schoen Berland e que, de 28 de Julho a 9 de Agosto de 2014, ouviu 800 profissionais responsáveis pela Tecnologia da Informação de empresas de pequeno, médio e grande portes, de oito países: Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Japão, Brasil, Índia, China e Rússia.

tecnologia

De acordo com o estudo, outros 41% dos entrevistados no Brasil se classificam na média, ou seja, tendem a adotar novas tecnologias junto com a maioria das empresas e só 8% admitem que incorporam tendências em TI no momento em que as mesmas já estão consolidadas no mercado.

“Esse estudo confirma a percepção da Dell de que o mercado brasileiro está aberto a novas tecnologias e tendências. O número de early adopters no Brasil é maior do que a média mundial do estudo, de 42%”, afirma Raymundo Peixoto, Vice-Presidente de Soluções Empresariais da Dell para América Latina. “Hoje, o país é prioritário para a Dell no mundo na oferta de soluções de TI ponta-a-ponta para empresas dos mais diversos tamanhos e perfis. Oferecemos tecnologias que vêm ao encontro dessas novas demandas dos CIOs e decisores de Tecnologia da Informação”, complementa.

O estudo mostra que, quando questionados sobre quais as principais tendências tecnológicas para as empresas, a maior parcela dos brasileiros, 67%, citou a mobilidade, em seguida aparecem virtualização (66%), cloud computing (63), Big Data (52%) e ambientes definidos por software (50%). Já sobre quais as tecnologias que as corporações brasileiras ainda não utilizam, mas que pretendem investir no próximo ano, 39% citaram cloud computing, 30% Big Data, 29% virtualização, 27% mobilidade, 30% ambientes definidos por software e 16% citaram outras.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor