Renesas deverá continuar cortes laborais

Negócios

A fabricante de chips japonesa Renesas poderá ainda eliminar mais postos de trabalho, parte integrante de uma estratégia de reestruturação substancial através da qual a empresa objetiva redirecionar o seu foco de ação, fazendo incidi-lo sobre os seus dormentes segmentos automóvel e industrial, que nos últimos tempos têm vindo a representar significativas perdas. Apesar de reforma organizacional

A fabricante de chips japonesa Renesas poderá ainda eliminar mais postos de trabalho, parte integrante de uma estratégia de reestruturação substancial através da qual a empresa objetiva redirecionar o seu foco de ação, fazendo incidi-lo sobre os seus dormentes segmentos automóvel e industrial, que nos últimos tempos têm vindo a representar significativas perdas.

renesas

Apesar de reforma organizacional estar já nos seus últimos estágios, alguns passos estão ainda por dar, sendo um deles a venda de algumas centrais de produção.

O diretor executivo Hisao Sakuta, que também se senta na cadeira do presidente da eletrônica, disse acreditar que, de acordo com os planos da empresa, o número de funcionários da Renesas poderá ainda exceder o necessário, sugerindo que estarão iminentes mais despedimentos.

A empresa reduziu já a sua força laboral em dez mil trabalhadores, e no decorrer dos últimos quatro anos fiscais acumulou 3,3 bilhões de dólares em perdas líquidas.

Sakuta avançou que pretende reavivar as vendas dos seus segmentos automóvel e industrial, ao mesmo tempo que encaminhará os seus recursos tecnológicos para o desenvolvimento de, por exemplo, serviços de navegação automóvel internos e sistemas de segurança automática.

Na semana passada, a Renesas revelou um chip desenhado especialmente para veículos que se conduzem a eles próprios.

Depois de ter vendido uma central de produção de chips localizada no norte do Japão à Sony, a Renesas deverá, embora não se saiba ainda quando, passar para as mãos da Synaptics a sua subsidiária, e fornecedora da Apple, Renesas SP Drivers, num negócio que se estima chegar aos 475 milhões de dólares.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor