32% dos executivos não sabem a quais riscos suas empresas estão expostas

CyberwarHOMESegurança

Uma recente e profunda pesquisa realizada pela Harvard Business Review Analytic Services, sob encomenda da Trend Micro – líder mundial em soluções de segurança na era da nuvem – aponta que 60% dos executivos no mundo estão muito preocupados com ataques direcionados, mas cerca de 30% não sabe que tipo de dados podem ser comprometidos

Uma recente e profunda pesquisa realizada pela Harvard Business Review Analytic Services, sob encomenda da Trend Micro – líder mundial em soluções de segurança na era da nuvem – aponta que 60% dos executivos no mundo estão muito preocupados com ataques direcionados, mas cerca de 30% não sabe que tipo de dados podem ser comprometidos com esses ataques.

crime digital2

O estudo mostra que os executivos seniores, responsáveis pelas tomadas de decisão, não compreendem o problema de segurança cibernética e não sabem identificar onde a organização é vulnerável a ataques avançados, por isso, os orçamentos de segurança para resolver o problema são limitados. Apesar disso, um terço dos respondentes afirma que suas empresas são alvos de ataques cibernéticos.

As preocupações de segurança referenciadas no questionário incluem: danos à marca (56%), danos à reputação profissional (54%), perda de propriedade intelectual (52%) e perda de receita (49%). No entanto, a resposta “Não sei” foi a mais utilizada pelos entrevistados quando questionados sobre que tipo de dados foram roubados em um ataque a sua organização, mostrando a falta de consciência em relação à gravidade do problema e à intenção de ataques direcionados e das ameaças avançadas.

Quando questionados sobre a falta de entendimento dificultar o aumento do orçamento para a área, 71% dos executivos consideram que a principal barreira é o fato dos tomadores de decisão não entenderem que a falta de segurança é uma ameaça real e quais as suas consequências. Ainda, 58% também aponta que tomadores de decisão consideram que os mecanismos atuais da empresa estão funcionando, 48% acredita que tais executivos são céticos em relação às ameaças, e 46% afirma que o problema é a falta de retorno dos investimentos em medidas de segurança.

Segundo o relatório, é necessário construir uma ligação mais eficaz entre a TI e os líderes empresariais, para aumentar a conscientização em relação aos ataques e, consequentemente, priorizar os investimentos em segurança. Para isso, o primeiro passo é classificar os dados da empresa, identificando quais estão em maior risco. Em seguida, as equipes de segurança podem começar a articular tecnologias de defesa cibernética em termos de ROI mais eficazes.

A pesquisa foi realizada em janeiro de 2014, com cerca de 150 responsáveis por empresas com mais de 500 funcionários, sendo 33% da Ásia, 32% da Europa, Oriente Médio e África, 28% da América do Norte, e 8% do resto do mundo.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor