Alibaba faz parceria com norte-americana Quixey

MobilidadeNegóciosOperadorasRedes

A Alibaba, gigante do comércio eletrónico chinês, decidiu fazer uma parceria, relativamente a aplicações de pesquisa para o seu sistema operacional móvel, com a Quixey, empresa norte-americana que tem uma aplicação móvel de pesquisa de conteúdos com o mesmo nome. O anúncio foi feito precisamente pelos estado-unidenses, que já haviam sido financiados pela Alibaba há algum tempo atrás.

A Alibaba, gigante do comércio eletrónico chinês, decidiu fazer uma parceria, relativamente a aplicações de pesquisa para o seu sistema operacional móvel, com a Quixey, empresa norte-americana que tem uma aplicação móvel de pesquisa de conteúdos com o mesmo nome.

alibaba2

O anúncio foi feito precisamente pelos estado-unidenses, que já haviam sido financiados pela Alibaba há algum tempo atrás.

Diferente dos típicos motores de busca na Web, o Quixey foi concebido especificamente para ajudar os usuários a encontrarem aplicações móveis adequadas às suas necessidades. Além disso, o motor de pesquisa pode ainda localizar o conteúdo armazenado em aplicações móveis.

Mediante esta parceria, a empresa norte-americana vai passar a ser o único fornecedor de pesquisa de apps no YunOS, sistema operacional móvel da Alibaba, afirmou a Quixey em comunicado.

A maioria dos usuários oe Quixey são dos EUA, mas a empresa espera crescer no mercado chinês, através dessa parceria com a Alibaba, disse seu diretor de operações, Guru Gowrappan.

A Alibaba apresentou seu primeiro sistema operacional móvel em meados de 2011. Desde então, o uso de smartphones tem crescido na China, o país que regista o maior número de acessos à Internet através de dispositivos móveis. Para já, a empresa chinesa se recusou a comentar o negócio.

Na próxima semana, a Alibaba fará novos anúncios sobre o YunOS, incluindo um novo telefone, de acordo com o website da empresa. O sistema operacional da Alibaba tem ainda pouca força no mercado de smartphones chinês, e sua participação de mercado tem sido inferior a um por cento nos últimos trimestres, disse Kiranjeet Kaur, analista na consultora IDC.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor