Indra apresenta simulador avançado de cibersegurança

CyberwarSegurança

A Indra está presente no evento sobre Cibersegurança e Privacidade (CySeP), uma iniciativa da KTH Royal Institute of Technology, que se realiza até 31 de Outubro em Estocolmo e onde está apresentando seu novo simulador avançado de treino em cibersegurança. Neste encontro, a empresa vai testar as capacidades de um grupo de mais de 50 pessoas que, de

A Indra está presente no evento sobre Cibersegurança e Privacidade (CySeP), uma iniciativa da KTH Royal Institute of Technology, que se realiza até 31 de Outubro em Estocolmo e onde está apresentando seu novo simulador avançado de treino em cibersegurança.

indra1-e1414409337154

Neste encontro, a empresa vai testar as capacidades de um grupo de mais de 50 pessoas que, de forma individual, vão realizar um exercício de computação forense sobre um sistema previamente alvo de um ciberataque.

Destacando-se por reunir alguns dos mais prestigiados especialistas internacionais em cibersegurança, provenientes tanto do meio acadêmico como de empresas privadas, este fórum pretende analisar, através de palestras, exercícios e demonstrações, como pode ser feita a transferência, para empresas e cidadãos, de tecnologias e técnicas disponíveis na área de educação e pesquisa para melhorar a segurança das organizações e garantir a privacidade, integridade e confidencialidade das informações.

O Fórum tem início com uma palestra introdutória sobre computação forense da responsabilidade do especialista em cibersegurança da Indra, Jorge López Hernández-Ardieta, e do Professor Jose María de Fuentes da Universidad Carlos III de Madrid.

De seguida, será proposto aos assistentes um exercício prático: mais de 50 especialistas e estudantes vão ligar-se remotamente ao simulador instalado no Centro de Operações de Cibersegurança (i-CSOC) da Indra, em Madrid, para resolver um exercício de computação forense identificando, se possível, a origem e autoria do ataque informático.

Para a realização desse exercício, cada um dos participantes terá um espaço de trabalho individual no simulador, a partir do qual poderá realizar todas as ações necessárias para analisar a rede atacada, recuperar evidencias que sustentam suas hipóteses e produzir o correspondente relatório forense. Esta tarefa, chave para identificar as vulnerabilidades que permitiram o ataque informático e que compromete o sistema, é imprescindível para evitar novas violações de segurança.

Durante o exercício, o simulador irá monitorar de forma automática os participantes, disponibilizando conselhos e pistas sempre que necessário. Além disso, avaliará a atuação realizada por cada um dos participantes, permitindo-lhes conhecer, no final do exercício e de forma individualizada, sua pontuação e principais aspetos a melhorar.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor