Melhores ambientes laborais promovem competitividade

Negócios

Um estudo realizado pelo Great Place to Work, junto de mais de seis mil organizações, deu origem à Lista Global de 2014 e concluiu que estamos perante o início de uma nova era para os ambientes de trabalho. Para ser competitivo, atrair e manter talentos no mercado, não basta oferecer um emprego, mas sim o melhor

Um estudo realizado pelo Great Place to Work, junto de mais de seis mil organizações, deu origem à Lista Global de 2014 e concluiu que estamos perante o início de uma nova era para os ambientes de trabalho.

story_best-company-to-work-for-fortune-2013_image_726x726

Para ser competitivo, atrair e manter talentos no mercado, não basta oferecer um emprego, mas sim o melhor ambiente de trabalho e com um significado especial. Encorajar o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, contar com uma gestão que mantém os colaboradores informados e atribuir as promoções com base no mérito, são, aliás, as principais melhorias observadas, desde 2011, no top 25 das multinacionais vencedoras a nível mundial.

“No passado, a compensação salarial pode ter representado uma meta para uma vida melhor. Actualmente, trata-se do tempo livre para manter o foco em assuntos fora do ambiente de trabalho. Estamos vivendo uma mudança de paradigma quanto ao que atribui significado à vida das pessoas. Em última análise, sentir-se bem em relação ao trabalho que desempenha, às pessoas com que trabalha e com o sucesso da empresa está absolutamente interligado”, declarou Klaus Entenmann, CEO da Daimler Financial Services.

De facto, a geração Y, também conhecida por Millenials (nascidos entre 1980 e 2000), procura cada vez mais empresas e lideranças que prestem atenção à harmonia entre vida pessoal e profissional, bem como à responsabilidade social. O que explica, em parte, a forte (40 por cento) presença do setor de Tecnologias de Informação na Lista Global de 2014.

Face ao ano anterior, este setor quase duplicou sua representatividade, destacando-se a manutenção de um top 3 composto unicamente por empresas de TI. Um setor nitidamente mais apelativo ao olhar dos talentos, conforme tendência apontada pela revista The Economist numa edição recente (outubro): “para graduados das melhores universidades de negócios, a banca de investimento está fora e empresas de consultadoria e tecnologia estão em alta”.

Satya Nadella, CEO da Microsoft sublinha que “seus” colaboradores procuram um significado em seu trabalho: “vêm trabalhar diariamente como o foco em incentivar as pessoas a fazer melhor, a alcançar mais e a viver a vida que querem viver. Mais do que nunca, os talentos de topo não procuram apenas um excelente emprego, mas sim criar uma vida e um mundo melhor – e seu trabalho é parte da solução para o alcançar…”

David Goulden, CEO da EMC reforça esta ideua: “cada vez mais os colaboradores têm estas expectativas. Ainda que sejam raros os ambientes de trabalho que satisfazem todas essas exigências, aqueles que são considerados como Great Places to Work são os que atraem o melhor talento”.

Na verdade, ser reconhecido como Great Place to Work assegura que se trata de um ambiente de trabalho com elevados níveis de confiança, um indicador chave para determinar o grau de engajamento dos colaboradores e que potencia uma performance superior, conforme destaque na recente pesquisa do Engage for Success, um grupo britânico que trabalha no sentido de apresentar dados que fomentem a ideia de que um trabalhador engajado será mais feliz e produtivo.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor