Mobilidade ganha relevo no mundo das TIC

ComponentesEscritórioMobilidade

A contribuição do setor das Tecnologias da Informação e Comunicação para a transformação da sociedade é tão grande que acaba ser complicado medir e ter noção do seu impacto. E dentro das TIC, a mobilidade ganha, cada vez mais, um papel de destaque. Um papel debatido pela Ericsson, Unify, Telefônica Vivo, Nokia, Anatel, Qualcomm e

A contribuição do setor das Tecnologias da Informação e Comunicação para a transformação da sociedade é tão grande que acaba ser complicado medir e ter noção do seu impacto. E dentro das TIC, a mobilidade ganha, cada vez mais, um papel de destaque. Um papel debatido pela Ericsson, Unify, Telefônica Vivo, Nokia, Anatel, Qualcomm e pela Huawei no último dia da Futurecom 2014 que está a decorrer em São Paulo.

2014-10-16 14.42.56

Se o papel das TIC dentro da sociedade é imenso, o papel da mobilidade dentro dessas mesmas TIC não é menor. Um desafio a que as operadoras têm vindo a responder com a criação de redes “superpotentes de 3G”, como disse na palestra Paulo Cesar Teixeira, da Telefônica Vivo. “A cobertura para a rede de dados tem vindo a ser aumentada. Outro meio que temos encontrado para nos ajustarmos a esta demanda por dados é a criação de pacotes pré-pagos que têm vindo a crescer dentro do negócio”.

No entanto, a grande questão associada a todas estas questões é o modelo de sustentabilidade, diz Divino Sebastião, da Algar Technologies. “Temos de ter uma solução para o crescimento exponencial de dados. Os dados sobem, mas as receitas não. Há que encontrar modelos sustentáveis”.

Reinaldo Opice, da Unify, ressalvou na palestra o facto da mobilidade estar entrosada quer no universo pessoal quer empresarial pelo que as organizações devem estar preparadas para que os seus funcionários usem as redes sociais para comunicar com os parceiros de negócios e com os colegas.

A realidade é que, hoje, o celular é já a primeira tela para muitos dos usuários. “É uma indústria muito poderosa. Temos 7 biliões de conexões celulares, o que quer dizer mais ou menos 3,5 biliões de pessoas conectadas. Ou seja, metade do número de pessoas do mundo. Isto só quer dizer que há ainda um potencial de crescimento imenso. E destes, só 40% usam banda larga, outra oportunidade. Se juntarmos a tudo isto conceitos como Internet das Coisas…”.

John Xiong Yihui, da Huawei, tal como na palestra de ontem, voltou a ressalvar o poder que as TIC têm e vão continuar a ter na sociedade, acrescentando que as pessoas se libertaram dos fios, pelo que a mobilidade tem de ser outra forte aposta de todos os players. “A mobilidade e a internet vieram mudar a sociedade”, disse na palestra. “Hoje as pessoas conhecem-se pela internet. Aliás, prevê-se que daqui a 10 anos 34% das pessoas se casem com pessoas que conheceram no mundo virtual”. Uma coisa é certa para John Xiong: que tudo isto tem grande potencial, tem. “Mas não sei qual. É imprevisível”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor