Orlando Magic usa big data para identificar torcedores

Big DataData Storage

A tecnologia é surpreendente na “casa” dos Orlando Magic. Mas Anthony Perez, vice-presidente para a área de negócio desse time de basquete da NBA, admitiu na 19ª edição do SAS Fórum Portugal 2014 que os responsáveis não conseguiam tirar o devido partido das vertentes tecnológicas do edifício que contempla qualquer coisa como 11 mil ecrãs. No Fórum do SAS, que

A tecnologia é surpreendente na “casa” dos Orlando Magic. Mas Anthony Perez, vice-presidente para a área de negócio desse time de basquete da NBA, admitiu na 19ª edição do SAS Fórum Portugal 2014 que os responsáveis não conseguiam tirar o devido partido das vertentes tecnológicas do edifício que contempla qualquer coisa como 11 mil ecrãs.

os-orlando-magic-new-york-knicks-12232013-025-e1412683038694

No Fórum do SAS, que decorreu no Centro de Congressos de Lisboa, o responsável, que apresentou um caso bastante prático, explicou que, atualmente, a venda de bilhetes são a maior fatia do negócio dos Orlando Magic, que ganham ainda dinheiro com a venda dos direitos de transmissão televisiva, merchandise ou patrocínios.

Ora, os pontos onde os dados estão dispersos são imensos, desde CRM; e-mail, pontos de venda, ticketing, wifi… Aliás, é raro nos recintos da NBA haver wi-fi de forma gratuita. Acontece que apesar de ser grátis, os adeptos têm de ceder alguns dados para que possam usufruir da oferta o que, para Anthony Perez, se tem mostrado como uma poderosa ferramenta. “Quando obtemos informação na venda de bilhetes apenas temos a informação de quem compra o bilhete, não de quem o acompanha. Com o wi-fi, todos os que quiserem usar têm de ceder alguma informação”.

Por exemplo, dizia Anthony Perez, a maioria dos bilhetes vendidos no recinto dos Orlando Magic são entradas únicas. Ou seja, torcedores veem um jogo e não voltam, o que preocupava os responsáveis. Porque não voltam, questionavam-se? Mas com o recurso ao Business Analytics acabaram por perceber que, afinal, os adeptos voltavam, os responsáveis é que não sabiam: “Basta não serem eles a comprar os bilhetes e já não sabíamos que eles voltavam. Hoje, já sabemos e podemos redirecionar as nossas ações de uma forma bastante mais assertiva”, explicou a toda a plateia.

O Orlando Magic é um time da NBA, a liga norteamericana de basquete e a mais importante do mundo, que apesar de nunca ter ganho um título ficou famosa por ter chegado às finais apenas cinco anos após sua criação lançando estrelas como Shaquille O’Neal ou Penny Hardaway. Seu vice-presidente esteve presente, no pasado dia 7 de outubro no Fórum SAS, em Lisboa, onde várias empresas apresentaram vários casos práticos sobre temas como Biga Data, Modernização Hadoop, Deteção e Prevenção de Fraude, Data Governance, Master Data Management e Data Quality, SAS Visual Analytics e Visual Statistics, Customer Intelligence.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor