Projeto de RFID controla 5 mil ativos de data center da T-Systems

HOME

A T-Systems Brasil, subsidiária da Deutsche Telekom, acaba de implementar etiquetas RFID (Radio-Frequency Identification) em equipamentos que ocupam seus data centers. Através desta tecnologia é possível recuperar informações de inventário e identificação dos ativos de forma automática.   De acordo com o diretor da área de M2M (Machine-to-Machine) da T-Systems Brasil, Carlos Ribeiro, a iniciativa

A T-Systems Brasil, subsidiária da Deutsche Telekom, acaba de implementar etiquetas RFID (Radio-Frequency Identification) em equipamentos que ocupam seus data centers. Através desta tecnologia é possível recuperar informações de inventário e identificação dos ativos de forma automática.

T-Systems1
 
De acordo com o diretor da área de M2M (Machine-to-Machine) da T-Systems Brasil, Carlos Ribeiro, a iniciativa tem o objetivo de aprimorar a gestão de ativos de alto valor agregado.
 
“A demanda veio dos departamentos de Finanças e Delivery, que queriam um controle ainda mais eficaz sobre os ativos da T-Systems, especialmente daqueles que contêm informações próprias e de nossos clientes”, afirma. Além disso, a iniciativa deve reduzir também outros custos associados aos equipamentos, como seguro, processos e controles, entre outros. “Precisamos ter na ponta do lápis exatamente qual ativo está sendo utilizado, e por quem”, diz.
 
Para isso, as etiquetas estão sendo utilizadas em um parque de equipamentos avaliado em mais de € 10 milhões. Ainda em sua primeira fase, o projeto compreende a identificação e controle de ativos de infraestrutura dos data centers. “Identificamos as máquinas e fazemos o inventário de modo muito mais rápido”, explica o executivo. Nas próximas fases, a T-Systems vai usar a tecnologia para controlar também a movimentação das máquinas e com gestão online por meio de um portal de controle.
 
De acordo com Rodrigo Santos, Head da área de CSS (Computing Services & Solutions) e responsável pelo data center da T-Systems do Brasil, por meio da tecnologia RFID será possível ter um controle muito mais assertivo do parque instalado nos centros de dados, facilitando vários controles e atividades, como por exemplo integração com fornecedores de hardware para suporte e reposição de componentes, rastreabilidade e segurança física, atividades de auditorias e de manutenção de base de ativos, inventário contábil e gestão de mudança e de capacidade. “Com esse projeto vamos automatizar várias atividades críticas ao nosso negócio e que dependiam, em algum nível, de intervenções ou controles manuais”, revela.
 
O executivo afirma que a tecnologia RFID será utilizada não apenas nos equipamentos que estão nos data centers da companhia, mas que o objetivo é também expandir o uso aos data centers de clientes administrados pela T-Systems.
 
Sobre as vantagens do projeto, Ribeiro ressalta que hoje é possível ter controle absoluto sobre o custo de uma máquina ligada no data center. “Sabemos se ela está ligada, se está em manutenção ou se está em terceiros”, explica, lembrando que o uso do RFID permite integrar as informações físicas e sistêmicas, confirmando se estão corretas as informações constantes nos sistemas de controle e planilhas.
 
“Começamos pelos ativos mais caros, mas a ideia é expandir a todos os ativos da T-Systems. Estamos coordenando os projetos internos necessários para isso”, conclui.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor